A mentira na vida diária

A psicóloga Bella DePaulo, em seus estudos, levantou uma série de questionamentos acerca da mentira.

Um dos seus artigos sobre o assunto intitula-se “The Many Faces of Lies” e busca levantar:

  • Quantas vezes as pessoas mentem?
  • Sobre o que as pessoas mentem?
  • Como os mentirosos justificam suas mentiras?
  • Que tipos de pessoas dizem mentiras mais facilmente?

Esses são os principais questionamentos, entre outros abordados no estudo, o que demonstra a complexidade de determinar o que seria mentira ou verdade.

 

Bella DePaulo
Comecei minha pesquisa sobre mentira na vida cotidiana com um viés de minha convicção de que contar toda a verdade não é nem possível e nem desejável, se fosse possível. Mesmo a mais simples das perguntas (por exemplo, o que você fez hoje?) pode ser respondida de várias maneiras, em qualquer nível de detalhe. Isso significa que todas as nossas apresentações na vida cotidiana são necessariamente editadas de alguma forma (Goffman, 1959; Schlenker, 2002). Quando estamos interagindo, escolhemos os aspectos de nós mesmos para apresentar que são mais relevantes para a conversa em curso e os nossos objetivos atuais, sem qualquer tentativa de induzir em erro. – DePaulo (2004, p.2)

 

Mentira na vida diáriaQuando interagimos com sinceridade, nós escolhemos os aspectos mais relevantes – à nossa percepção – para a conversa em curso fluir melhor, e atingir os nossos objetivos (transmitir nossa experiência), sem qualquer tentativa de induzir ao erro.

DePaulo ainda reconhecia a necessidade de possuir um número bem maior de participantes em suas pesquisas, a fim de que a mesma fosse mais fiel possível nos resultados. “In our wildest dreams, we wanted to recruit a nationally representative random sample of Americans.”

 

Interessante como foi respondida a primeira questão do seu artigo: Quantas vezes as pessoas mentem? Até o final da semana, os 147 participantes tinham registrado um total de 1.535 em mentiras nos seus diários (ver Tabela 1 do artigo). Isso equivale a duas mentiras por dia para os estudantes universitários, ou uma mentira em cada três de suas interações sociais, e uma mentira um dia para as pessoas na comunidade, ou uma mentira em cada cinco de suas interações sociais. Divergindo brutalmente dos dados da pesquisa realizada por Robert Feldman.

 

E mais, os participantes mentiram mais sobre: (1) os seus sentimentos e opiniões; (2) suas ações, planos e paradeiro, (3) o seu conhecimento, realizações e fracassos; (4) explicações para a seus comportamentos e (5) fatos e pertences pessoais. Demonstrando que ainda mentimos muito por frustrações próprias, como citado no artigo “Mentiras sinceras nos interessam?

Além disso, é necessário tomar em conta o devido cuidado na quantificação da mentira. Muitas pesquisas utilizam médias aritméticas para isso, o que não faz muito sentido. Por exemplo: temos duas pessoas numa família – uma nunca mente, a outra conta 20 mentiras por dia. Se formos utilizar a média, transformaremos a pessoa que nunca mente em um “mentiroso médio” e ainda “quebramos o galho do mentiroso compulsivo! Não acho que isso seja muito justo…..

 

Queremos saber a sua opinião. Colabore nos comentários!

Um abraço

Sergio Senna


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. A mentira na vida diária. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/a-mentira-na-vida-diaria/> . Acesso em 2 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2015). A mentira na vida diária. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 2 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/a-mentira-na-vida-diaria/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in A Mentira, Conhecimento Básico and tagged , , , .

2 Comments

  1. Olá Dr. Sérgio,

    Já havia lido este artigo da DePaulo, que é bem interessante…acho que reforça ainda mais (que é um mito) aquela conversa de 3 mentiras a cada 10 minutos, conforme no artigo “Realmente contamos 3 mentiras a cada 10 minutos?” -> http://ibralc.com.br/a-mentira/realmente-contamos-3-mentiras-a-cada-10-minutos/

    Não gosto de quantificar “números de mentira por dia”, entretanto, o presente artigo só reforça que devemos ter sempre cuidado ao tentar colocar números nesse assunto.

    Abraço,

    Edinaldo

    • Olá Edinaldo, realmente não é interessante nos acostumarmos com o “mentiroso médio”, pois a mentira é um problema muito mais complexo e excede muito à sua abordagem quantitativa. Como disse, não é justo imputar 3 mentiras a cada 10 minutos a uma pessoa que quase não mente…..
      Abraço
      Sergio Senna

Deixe uma resposta