Aécio Neves e o mau uso do espaço pessoal

Pouco ou quase nada se tem estudado sobre a influência da comunicação não verbal numa eleição no Brasil. O conhecimento disponível é proveniente de literatura estrangeira, em sua maioria norte-americana, e é difundida por pessoas curiosas, bem intencionadas na maioria das vezes, mas carentes de conhecimentos para avaliar as dicas que oferecem.

No Debate de ontem no SBT foi possível notar uma drástica redução de expressões de desprezo e aversão no candidato Aécio neves. Mas será suficiente para superar a impressão não verbal comunicada ao eleitorado indeciso nos debates anteriores?

“Marketeiros” e auto-proclamados especialistas em linguagem corporal dão dicas aos candidatos. Tais dicas podem se tornar em pesadelo para o político se forem colocadas em práticas como receita de bolo.

Um dos temas menos tratados é o uso dos espaços pessoal e íntimo nas campanhas eleitorais e os possíveis efeitos no ELEITORADO INDECISO. Em uma campanha acirrada e marcada por acusações generalizadas entre os candidatos, importa prestar atenção às pessoas que podem ser influenciadas por aspectos emocionais.

Venho destacando esses aspectos em diversos artigos que fazem parte de nossa série sobre COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL NA POLÍTICA.

Veja abaixo alguns títulos:



No debate entre os presidenciáveis, que foi promovido pela Rede Bandeirantes, o candidato Aécio Neves decide beijar a Presidente da República, Dilma Rousseff, ao final de um encontro marcado por duras acusações proferidas por ambos. Sua expressão facial no momento do beijo e os possíveis desdobramentos para o eleitor indeciso é o que analisamos nesse artigo.

 

O que é espaço íntimo?

Espaço íntimo é uma distância de cerca de 45 centímetros (culturalmente variável) ao redor de nosso corpo que, se invadida, provoca reações emocionais não-conscientes (positivas ou negativas).Sergio Senna, baseado em Edward Hall

Veja a figura acima. Quem já não se sentiu incomodado por alguém que chega demasiadamente perto? Ou que mulher não se sentiu mal quando alguma pessoa a toca sem a sua permissão? Essas são reações que ocorrem quando o nosso espaço pessoal é invadido.

O oposto também pode ocorrer. Quando invadimos o espaço de alguém não são somente as emoções dessa pessoa que são mobilizadas, as nossas também…. Foi o que, em minha opinião, ocorreu com Aécio Neves na hora da tentativa de mostrar-se próximo, competitivo, esportivo, elegante ao dar o beijo em Dilma após o debate. Desnudou as suas próprias emoções…..

 

Aécio e Dilma – O beijo e o espaço íntimo

Quando Aécio foi beijar Dilma seus espaços íntimos foram sobrepostos. Nesse contexto, podemos observar emoções não-conscientes que emergem sem que seja possível controlá-las em seus primeiros momentos. Por mais que uma pessoa seja experiente e tenha bom controle emocional, não é prudente (dependendo de que resultado a pessoa deseje alcançar) provocar situações em que emoções espontâneas sejam eliciadas.

Foi o que aconteceu no momento do beijo. Observe a foto da situação:

10374476_773943735995727_5352964857901907875_n (2)

 

Nojo - linguagem corporal

 

Agora, compare com o protótipo da expressão facial de nojo ao lado. Essa é uma reação produzida pelo sistema autônomo, alguns pesquisadores diriam que é totalmente involuntária e provém de inúmeras situações em que essa emoção foi sendo justaposta, emparelhada, com a figura da pessoa abraçada ou beijada.

Na foto do protótipo da expressão vemos a contração do músculo Levantador do Lábio Superior e da Asa do Nariz e da parte transversa do músculo Nasal. O efeito observado é o encolhimento do nariz em direção à sua base, um certo levantamento das bochechas e fechamento dos olhos. Todos nós já vimos e já produzimos essa expressão facial em momentos que sentimos aversão….

 

Possíveis efeitos do beijo no eleitorado indeciso

Comecei a ver algumas reações e comentários das pessoas nas redes sociais. O beijo repercutiu bastante. Alguém, nas redes sociais, chegou a fazer referência ao beijo de Judas…. Exageros à parte, assim como já venho alertando em outros artigos, o meu objetivo aqui é mostrar que esse tipo de equívoco primário pode prejudicar significativamente o candidato Aécio Neves em relação ao voto dos eleitores indecisos pelos seguinte motivos:

  • Uma grande parte dos processos de identificação são emocionais, não passam pelas propostas, e sim pela empatia;
  • Mostrar aversão causa empatia em quem compartilha dessa emoção, mas não tem o mesmo efeito no eleitor indeciso;
  • A dinâmica do componente emocional da atitude em relação ao candidato funciona inversamente. O indeciso tende a sentir aversão da aversão, tendendo a aumentar a rejeição subjetiva a Aécio.
Para que o meu raciocínio fique bem claro, existem os 40 milhões de brasileiros que não compareceram às urnas e os 20 milhões que votaram em Marina. Essas pessoas, psicologicamente, estão fora (pelo menos em tese e em sua maioria) da polarização entre os tucanos e petistas. Será esse contingente que definirá a eleição. O candidato que conseguir a menor rejeição entre os indecisos ganhará a eleição.

 

Para quem já escolheu um lado fica difícil perceber os detalhes. Os correligionários de Aécio sentirão empatia com seu comportamento, enquanto os de Dilma tenderão a reagir negativamente à aversão.

Para que o meu raciocínio fique bem claro, existem os 40 milhões de brasileiros que não compareceram às urnas e os 20 milhões que votaram em Marina. Essas pessoas, psicologicamente, estão fora  (pelo menos em tese e em sua maioria) da polarização entre os tucanos e petistas. Será esse contingente que definirá a eleição. O candidato que conseguir a menor rejeição nessa população ganhará a eleição.

Então, se um candidato quer identificar-se positivamente para conseguir o voto, não adianta eliciar aversão nessa população.

 

Beijar foi politicamente vantajoso?

Pode parecer galante ou nobre ir cumprimentar o adversário ao final de um embate político. Isso, em geral, é adequado. Entretanto, essa receita tem uma dose certa!

Não entender dos detalhes do comportamento humano pode fazer o tiro sair pela culatra.

É necessário esclarecer para o público em geral, que os políticos demostram mesmo proximidade com pessoas que não lhes são efetivamente conhecidas. Ser simpático, próximo, pode criar um ambiente propício. Quem trabalha em ambientes políticos sabe que muito se elogia, se exagera.

O que não se pode perder de vista (e fica aqui a dica) é que a divergência entre nossas palavras e atos e as nossas reais emoções serão expressas durante algum tempo. Esse tempo pode ser bem limitado (às vezes na ordem de milissegundos) e será suficiente para que as verdadeiras emoções em nível não-consciente sejam observadas.

Em minha opinião, foi o que ocorreu com o candidato Aécio. Mostrou visível aversão pela candidata Dilma Rousseff. Aversão essa já esperada e que não é surpresa, depois de tantos ataques durante a campanha eleitoral.

O que importa não é identificar que um candidato possa sentir aversão pelo outro. Como disse, no contexto atual isso é totalmente previsível e até esperado. O que está em jogo aqui são as emoções que tais cenas provoca no ELEITORADO INDECISO.

Portanto, esse tipo de erro primário não deve ser cometido. Fica, mais uma vez a sugestão de evitar invadir o espaço íntimo de alguém ao final de um debate no qual foram trocadas acusações durante quase uma hora e meia.

Siga acompanhando nossas matérias.

Um abraço

Sergio Senna


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Aécio Neves e o mau uso do espaço pessoal. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/aecio-neves-e-mau-uso-espaco-pessoal/> . Acesso em 2 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2014). Aécio Neves e o mau uso do espaço pessoal. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 2 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/aecio-neves-e-mau-uso-espaco-pessoal/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Política and tagged , , , , , .

One Comment

  1. Parabéns pelos artigos, Dr. Sergio! O senhor escreve com bastante clareza e didática. Gostei muito do site e pretendo participar da próxima turma de março de 2015. Obrigada!

Deixe uma resposta