Emoção e cognição na escola

Emoção e cognição na escola No primeiro artigo da série – Educação e Linguagem Corporal, abordamos alguns campos da comunicação não verbal que podem ser úteis no contexto escolar. Em cada uma das postagens subsequentes, trataremos com mais detalhes de cada um dos aspectos apresentados no primeiro artigo. Nosso tema da vez é a importância do equilíbrio entre cognição e emoção no contexto escolar e como a linguagem corporal pode auxiliar professores de crianças, adolescentes, jovens e adultos em suas tarefas educacionais.

 

O contexto escolar

Muito esforço é empreendido pelos sistemas de ensino em nosso País para a formação continuada de professores. Apesar desses esforços, as pessoas seguem reclamando da qualidade do ensino, da qualidade da interação na sala de aula etc. O que será, então, que falta? Em meus trabalhos como consultor legislativo da Câmara dos Deputados, me deparo com o tema “violência nas escolas” com muita frequência.  Não raras vezes, percebo que os parlamentares e até mesmos representantes dos agentes escolares nutrem uma fantasia de que a escola por si só é salvadora.

Prefiro ver essa avidez por desenvolver atividades mil na escola como decorrência da visão prática das pessoas e das autoridades. Quando se pensa em campanha de saúde, onde fazê-la? Na escola! Campanha a favor do meio ambiente? Na escola! Vacinação? Na escola! Educação para a vida? Na escola! Primeiros socorros? Na Escola… Comecei a perceber que fazer as atividades extra na escola é mais prático, pois onde ocorre uma grande reunião de crianças e adolescentes, todos os dias úteis, no Brasil? Na escola!

Dessa forma, temos visto a expansão do papel da escola para muito além das suas funções, chegando ao cúmulo de “receber a missão” de substituir o papel das famílias, nos casos mais extremos.
O contexto do Ensino Fundamental é mais ou menos esse, o que vai mudando no Ensino Médio e no Ensino Superior (e na EJA também). Sempre me pergunto se atribuir demasiadas tarefas e responsabilidades aos agentes escolares seria um aspecto relevante (não a única hipótese ou a mais importaante) para a baixa qualidade do rendimento escolar do brasileiro. É nesse ponto que a observação da linguagem corporal torna-se tão importante como trataremos a seguir.

 

A origem da linguagem corporal

emocao-cognicao-evolucionismoDiversos autores, como Darwin e Paul Ekman defendem que a linguagem corporal é bem primitiva e, em nossos primórdios como grupo humano, era utilizada como o principal meio de comunicação. Diretamente relacionada com o funcionamento de nosso sistema nervoso, ainda hoje é utilizada sem que, muitas vezes, tenhamos pela consciência disso. A todo momento estamos nos comunicando e interpretando a linguagem corporal uns dos outros.

Essa origem primitiva e sua relação com nosso sistema nervoso fazem com que nossas emoções apareçam de uma forma bem clara na linguagem corporal e nas outras dimensões da comunicação não verbal também.

Exemplo em:


Abraço Constrangido - IBRALC

Como perceber o desconforto no abraço?

O abraço, linguagem corporal e o espaço psicológico ao redor de nós Cada um de nós tem uma experiência diferente na interpretação da linguagem corporal e com a distância que as outras pessoas mantém durante ...
Leia Mais

Com base nisso, não é absurdo defender a importância do domínio técnico da linguagem corporal por parte dos professores para que tanto as emoções quanto a cognição possam, efetivamente, convergirem no contexto escolar.

 

Emoção e cognição na escola

Ao longo dos anos, temos sido testemunhas de quanto se fala sobre a “humanização” do ensino, sobre a necessidade da valorização das emoções nos ambientes escolares. Os livros sobre o assunto se proliferam. No entanto, as pesquisas e o testemunho das pessoas não é o mesmo… Por que será que se trata tanto desse assunto e os resultados não são coerentes com esse discurso? Com minhas palavras não quero dizer que não existam professores exemplares e escolas que nutram um ambiente emocional positivo. Me refiro aos sistemas de ensino como um todo. Meu propósito é defender que desde o mais elevado escalão administrativo da educação todos promovam ações de convergência entre as emoções e a cognição, o conhecimento.

É muito fácil recitar cartilhas ideológicas que pregam algo que não se consegue colocar em prática. O difícil mesmo, é enfrentar essa multiplicidade de tarefas que os professores e demais agentes escolares têm de lidar e, ainda assim, dar conta de criar um ambiente acolhedor e rico em conhecimento.

Em muitos lugares, a crítica ao cientificismo produziu uma experiência de mudança para apenas acolhimento. Isso não adiantou muito…. Era necessário desenvolver o acolhimento sem descuidar do conhecimento em si. emocao-cognicao-paz Mas, como fazer as duas coisas? Foi diante dessa pergunta que resolvi estudar esse caso e produzir um trabalho que tomou forma na defesa de uma tese de doutorado, na qual foram analisadas experiências de promoção de responsabilidade e de interações emocionais na escola. No final, percebi como é difícil fazer tudo isso acontecer.

 


self

Que perspectiva de ser humano embasa nossos artigos?

A perspectiva sociocultural construtivista.Quando redijo os artigos no portal, o faço a partir de um ponto de vista científico e filosófico. Este artigo explicita os referenciais que utilizo ...
Leia Mais

 

Competência na comunicação pela linguagem corporal

Uma das soluções que vislumbro para compor um conjunto de ações para promover um ensino mais “humano”, é a capacitação para a utilização dessa “linguagem primitiva” que todos entendem – a linguagem corporal.

Não vejo outra saída senão a articulação de muitos projetos e ações. Se houvesse uma solução única, não teríamos mais os problemas de baixo rendimento escolar e, principalmente, a violência na escola. A solução é híbrida e passam por mitos temas, incluindo atribuir à escola o seu verdadeiro papel (que surge da reflexão sobre o que esperamos dela).


Linguagem corporal

O que precisa para ser especialista em linguagem corporal?

Muita gente me pergunta o que é necessário para ser um especialista em análise do comportamento. No que diz respeito a essa questão, o primeiro aspecto importante é entender que a análise do comportamento não ...
Leia Mais

 

Nos próximos artigos vamos ver como os gestos, posições e expressões faciais podem nos ajudar a economizar o escasso tempo escolar para expor nossas crenças, valores e conhecimentos. Fique ligado e comente nossos artigos!


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Emoção e cognição na escola. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/emocao-e-cognicao-na-escola/> . Acesso em 3 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2011). Emoção e cognição na escola. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 3 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/emocao-e-cognicao-na-escola/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Linguagem Corporal and tagged , , , , , .

2 Comments

Deixe uma resposta