É hora do show!

É hora do show

Engraçado como certos apresentadores transmitem uma “energia positiva”, dando bom tom ao programa apresentado, deixando a platéia animada e os participantes à vontade: seriam estes apresentadores pessoas especiais ou com algum tipo de “dom”?

Evidentemente que existe um preparo por parte de tal apresentador, e como em todas as profissões, aquele que entender melhor o que seu público deseja ver ou ter, obterá êxito perante a “concorrência”, entretanto, podemos show-filmagemafirmar que um dos quesitos para o sucesso é o ambiente em que os participantes do programa interagem.

Apesar de toda a magia envolvida em um programa de TV, o mesmo não deixa de ser um negócio: com um público específico, necessidade de captação de recursos financeiros, funcionários, níveis hierárquicos, etc. Portanto, os conceitos aqui abordados podem – e devem – ser utilizados em empresas (de micro a grande porte).

 Abordaremos aqui conceitos básicos – de forma que o leitor aos poucos vá relacionando os assuntos, para em seguida abordarmos outros temas na área.

Daremos continuidade ao artigo anterior,  demonstrando que o ambiente influencia as pessoas que nele estão envolvidos – seja em um stand, loja ou um programa de TV. Assim, reforçamos o conceito de “universalidade” dos temas relacionados à linguagem corporal.

 

Erro aqui, erro lá

Utilizando-se  de parte da ópera do compositor italiano Gioachino Rossini, gostaria de lembrar que erros na composição de ambientes não são exclusividade de stands e lojas, estes também são cometidos entre programas famosos, observem a imagem abaixo, retirada do programa “The Tonight Show”, apresentado pelo  Jay Leno:

show-obama

O visual adotado pelo programa é extremamente desagradável para o entrevistado, pois temos alguns fatores que colaboram para isso:

1. Existe uma barreira (uma mesa) entre o entrevistador e o entrevistado – eles são inimigos? o entrevistador terá mais sucesso em suas perguntas?
2. Não existe nenhuma barreira entre o entrevistado e a câmera/público, ou seja, o mesmo se sente totalmente desprotegido – observe que mesmo o atual presidente dos E.U.A, Barack Obama, se sente desconfortável – ele estaria tentando criar uma barreira entre ele e o público, com o braço e o cruzamento das pernas? ou apenas uma forma elegante de sentar?

Para um melhor entendimento, recomendo a leitura do artigo “Diz-me onde sentas, e te direi quem és“, pois os conceitos que são abordados lá, aqui ganham uma visualização mais prática.

Em outra entrevista no mesmo programa, a cantora Britney Spears, tenta também criar uma barreira, com as mãos e o cruzamento das pernas:

show-britney

Propositalmente utilizamos estas duas figuras públicas. Obama, sendo o atual presidente dos Estados Unidos, desfruta de um grande poder e preparo para apresentações, e mesmo assim se sente inibido. A cantora Britney Spears é famosa não só por sua carreira musical: a mesma já foi “flagrada” pela mídia diversas vezes em situações “complicadas”. Então, porque ambos ficam tão contidos diante de uma entrevista?

Conforme expresso no início do artigo, todo programa tem um público alvo, portanto, o programa deve ter uma preparação de cenário/ambiente coerente com o público que deseja atingir. O programa citado acima –  “The Tonight Show” – nos deixa dúvidas do que exatamente tratamos nele: seria uma conversa amigável e descontraída ou um programa investigativo, onde acontecem interrogatórios?

 

Uma pitada de sensatez

Para que a questão de coerência no ambiente fique mais clara, gostaria de citar um outro programa, desta vez nacional, que é apresentado pelo Danilo Gentili, cujo nome é “Agora É Tarde (Band)”, cujo teor das perguntas são mais “ácidas”, que vez por outra deixa o entrevistado na “saia justa”.  O nome do programa foi bem elaborado, assim como o cenário – que está coerente com a proposta do programa.

show-ratinho

Observem as pernas cruzadas do entrevistado, que ficou exposto para a platéia, bem como a barreira entre o entrevistador e entrevistado. Consciente ou não, a escolha do cenário foi coerente com a proposta do programa e seu respectivo publico alvo.

Ao longo do artigo foram feitas diversas perguntas – destacadas em vermelho – e por último deixamos uma dica para tais respostas. No próximo artigo demonstraremos mais cenários coerentes e como estes “mudam o clima” do programa (inclusive traremos dois vídeos com o presidente Barack Obama, demonstrando como é visível o efeito do ambiente sobre o entrevistado).

Caso tenham algum dúvida ou queiram colaborar indicando algum programa para o novo artigo, deixem comentários, os mesmos serão bem vindos!

Agora pense um pouco: o cenário do seu programa favorito é coerente com o que deseja transmitir?

E você? O que pensa sobre isso? Deixe-nos o seu comentário!

Saudações e prossiga acompanhando os nossos artigos

Edinaldo Oliveira

Venha aprender linguagem não verbal conosco!


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

JUNIOR, Edinaldo Oliveira. É hora do show!. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/hora-show/> . Acesso em 2 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Junior, Edinaldo Oliveira. (2012). É hora do show!. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 2 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/hora-show/.

The following two tabs change content below.

Edinaldo Oliveira

Graduado em ADMINISTRAÇÃO - GESTÃO DE NEGÓCIOS pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru/PE (2005) e Pós-Graduado em Engenharia de Software pela mesma faculdade, em 2010, além de graduado em Gestão da Tecnologia da Informação, pela ESTÁCIO, em 2014. Diletante do campo da psicologia, com foco no estudo da comunicação não verbal, especialmente no que se refere as expressões faciais, e como esta ferramenta pode ser aplicada em diversas áreas, a saber: segurança, defesa, educação, vendas, nas organizações e na saúde. Além disto, é amante da astronomia, astrofotografia e fotografia.
Posted in Publicidade and tagged , , , , , , , , , .

Deixe uma resposta