Linguagem Corporal para demonstrar interesse por seus alunos.

A importância da linguagem corporal na escola

O domínio competente da linguagem corporal é fundamental para os professores em qualquer nível ou modalidade de ensino. Saber utilizar gestos, expressões faciais e a postura corporal ajuda a influenciar positivamente o comportamento dos alunos, como você deve ter visto em nosso artigo: Educação e Linguagem Corporal

Além disso, a linguagem corporal é excelente para expressar emoções e o nosso interesse pelas atividades e pelas pessoas.

A utilização das técnicas não verbais, além de necessária, é muito útil, principalmente nos primeiros contatos com uma turma nova, pois alguns alunos podem não estar naturalmente interessados nas atividades que lhes serão propostas. Para esses alunos, o interesse pessoal do professor na proposta pedagógica será a sua principal motivação, o que perceberão muito mais pela linguagem corporal do professor do que  pelo que lhes for dito.

Nesse contexto, você pode manifestar esse interesse através de sinais como:

  •   a orientação da posição do seu corpo;
  •   a forma e a atenção do seu olhar;
  •   o tempo de espera suficiente para permitir que o aluno organize a sua resposta sem interrupção;
  •   e expressões faciais e gestos de apoio durante as possíveis falhas.

Todas essas estratégias são muito válidas, principalmente nos contatos iniciais.

Cada um de nós tem um repertório bem definido de gestos e movimentos. No entanto, dentro de um ambiente de trabalho coletivo, como uma sala de aula, é necessário saber, intencionalmente, quando e quais utilizar.

O entusiasmo, por exemplo, é transmitido com o corpo inteiro por meio da intensificação da tensão muscular, do aumento da amplitude dos movimentos e da intensificação das expressões faciais para pontuar as atividades propostas de uma forma envolvente e promovida. Entretanto, é necessário cuidado com os exageros, pois tão fácil quanto identificar um entusiasta é descobrir alguém que finge ser um deles, o que as crianças percebem tão rápido quanto qualquer adulto experiente!

 

Sobre isso leia: Como surgem as habilidades naturais para perceber emoções?

 

Dicas sobre cinco aspectos da linguagem corporal para influenciar positivamente seus alunos.

Postura – Para reforçar sua solicitação de atenção, procure adotar uma postura ereta, com a cabeça (e o corpo) voltada (os) para os seus alunos.

Movimentos de inclinação do tronco para frente e para trás comunicam, respectivamente, apreço e cuidado com o que está sendo dito. Você pode, por exemplo, indicar que um aluno pense melhor em algo que está respondendo, simplesmente inclinando seu corpo levemente para trás um pouco antes de solicitar, verbalmente, outra resposta.

 

Tensão muscular – Todos nós observamos atentamente a variação da tensão muscular em nossos interlocutores. Com as crianças não é diferente. Além disso, a tensão (ou falta dela) se “propaga” pela audiência. Pouca tensão muscular no professor pode desencadear um estado de desânimo para a aula. Excessiva tensão muscular induz preocupação aos alunos. Afinal, o que haveria ocorrido para tal reação da professora?

Procure então trabalhar a variação dessa tensão ao longo das diversas atividades da aula. É como uma música na qual sentimos mais ou menos empolgação em seus vários momentos.

 

Gestos – A amplitude, a velocidade, a tensão e a forma que você apresenta suas mãos durante a gesticulação são elementos de fundamental importância na comunicação.

Para manter a atenção da turma, procure evitar realizar movimentos rápidos com muita frequência, utilizando-os nos momentos que você deseja enfatizar alguma mensagem. Para isso, aumente a amplitude, a velocidade, a tensão muscular dos movimentos que você faria naturalmente.

Lembre que o aceno positivo com a cabeça é um dos gestos mais reforçadores que uma mensagem verbal pode ter.

Mãos fechadas, tensas, dedos cruzados, normalmente, não comunicam mensagens positivas. Mostrar as mãos abertas e, principalmente, as palmas funcionam bem para ilustrar aprovação e solicitações de atenção.

 

Expressões faciais – As expressões faciais são fundamentais para a comunicação das emoções humanas pela linguagem corporal. Pesquisas científicas indicam que, mesmo durante o primeiro ano de vida, as crianças já reconhecem e reagem às expressões faciais de pessoas conhecidas.

Olhos muito abertos comunicam medo ou surpresa, dependendo da tensão muscular neles expressa.

Sombrancelhas franzidas comunicarão raiva, desaprovação e um estado emocional de tensão.

Sorrisos nos quais a abertura da boca se desenvolve na horizontal não são interpretados como genuínos, além de comunicarem tensão e/ou medo.

 

  Teste a sua capacidade em reconhecer expressões faciais  

 

Não gosto muito de escrever “dicas” sobre linguagem corporal, pois isso transmite a idéia de que é possível conseguir resultados a partir de pouco conhecimento, o que não é verdade!

Além disso, o comportamento humano é complexo e diversos contextos podem exigir adaptações das “dicas”. O que funciona muito bem em uma situação, pode ser até prejudicial em outra.

 

Veja aqui: Emoção e Cognição na Escola

 

Então, não pare de estudar o assunto, procure saber o porquê das dicas lendo os nossos artigos e prossiga aprendendo a interpretar a linguagem corporal.

Um abraço

Sergio Senna

Venha aprender linguagem não verbal conosco!


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Linguagem Corporal para demonstrar interesse por seus alunos.. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/linguagem-corporal-demonstra-interesse/> . Acesso em 4 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2012). Linguagem Corporal para demonstrar interesse por seus alunos.. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 4 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/linguagem-corporal-demonstra-interesse/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Educação and tagged , , , , , , , , , , , .

14 Comments

  1. Prezados, adorei o texto e o site. Que boas surpresas o google nos desvenda às vezes! Gostaria de saber, por gentileza, se indica algum texto com material mais extenso ou mesmo um livro que fale sobre a postura corporal de um(a) professor(a) de primeiro ano do primeiro ciclo (5/6 anos). Tenho dificuldades imensas para controlar a turma. Especialmente quando sentamos em roda. E sei que tem muito a ver com minhas expressões e minha ansiedade. Claro que não espero um livro de receitas, mas gostaria muito de indicações de materiais para leitura que possam me ajudar. Desde já agradeço muito a atenção. Me e-mail: [email protected]

    • Prezado Rafael, obrigado pelo seu comentário e pelas gentis palavras.

      Infelizmente não há material de qualidade sobre esse tema escrito em Língua Portuguesa. Em 2013 o IBRALC pretende lançar alguns títulos que estão em elaboração, mas nada específico sobre o que você precisa.

      Entretanto, seguiremos escrevendo artigos sobre linguagem corporal na educação. Acompanhe essa série.

      Saudações
      Equipe IBRALC

  2. Hoje finalizei minha monografia Dr. Sergio sobre a linguagem corporal no período escolar e quero agradecer imensamente por ter colaborado com esta pesquisa, oferecendo tantos conteúdos excelentes, com este artigo mais um!
    Grata pela colaboração, sucesso!

    • Olá Rosimeire,

      Gostaria de me antecipar ao Dr. Sérgio e desejar os parabéns pela conclusão da monografia…lembro de suas pesquisas no início do trabalho, que bom que chegou a sua conclusão.

      Fico feliz também pelo IBRALC ter ajudado, mesmo que em uma pequena parcela, e espero que siga nos acompanhando.

      Abraço,

      Edinaldo

    • Prezada Rosimeire, saudações.

      Fico feliz em saber que você atingiu mais esse importante objetivo em sua vida. Toda equipe do IBRALC se sente satisfeita em ter colaborado, um pouco que seja, com o seu trabalho e agradecemos imensamente as suas gentis palavras e esse gesto de reconhecimento. Muito obrigado!

      Numa sociedade marcada pela inveja e pelo desprezo em relação às conquistas alheias, o IBRALC marca uma posição diferente: dentro de nossas possibilidades auxiliaremos as pessoas que precisam de ajuda nessa área e, com elas, celebraremos as suas vitórias.

      Que essa seja a primeira de muitas conquistas acadêmicas. É o que desejamos.

      Um abraço
      Sergio Senna

  3. Obrigado pela dica Dr. Sérgio, vou ficar atento às novidades.
    Gostaria que me respondesse uma questão: durante uma apresentação, expressar segurança do que está sendo dito, pode ser prejudicial de alguma maneira para o aprendizado? Após a apresentação de minha monografia, um componente de minha banca avaliadora disse que eu apresento com muita segurança, e que isso pode ser prejudicial algumas vezes. Desde então fiquei perdido, achando estar passando uma impressão de prepotência durante a fala. O que o Sr. tem a dizer sobre isso?
    Muito obrigado pela atenção.
    Abraços

  4. Gostei muito do artigo! Sempre temos muito à aprender. Estou na graduação, cursando Farmácia, mas meus planos são trabalhar com Pesquisa e Docência. Estas dicas, portanto, são ótimas para quem pretende se tornar um bom professor, um profissional que realmente se preocupe com o aprendizado de seus alunos. Meus parabéns pelo trabalho, excelente como sempre. Abraços.
    Renan F. Amorim

    • Bacana, Renan.

      Muito obrigado pelas palavras de incentivo e por apreciar o nosso conteúdo.

      Aproveite para acompanhar nossos debates no FACEBOOK: http://facebook.com/ibralc

      Assim, você também saberá de nossas novidades e novos artigos com mais presteza.

      Um abraço
      Sergio Senna

  5. Dr. Sérgio,

    Parabéns por mais este artigo! Muito interessante!

    Recentemente venho pensando, o quanto todos ganhariam se na grade de um curso de pedagogia, letras, matemática e demais cursos “da área de ensino” tivesse um espaço para uma disciplina acerca da linguagem não verbal. A mesma poderia ser aplicada desde o inicio da vida escolar até a pós-graduação.

    Quanto as “dicas”, são boas, mas não são exatas, como foi dito no artigo. O ideal seria se especializar no assunto.

    Abraço e sucesso!!

    Edinaldo Oliveira

Deixe uma resposta