Psicopatia e o Caso BTK

Psicopatia e o caso BTK.

Em 1974 Dennis Rader, um tranquilo funcionário público municipal, iniciava uma carreira assustadora de assassinatos em série. Auto-intitulado BTK (Bind-Torture-Kill) que quer dizer “Subjulgar-Torturar-Matar”, o assassino desafiava as autoridades policiais com pistas e cartas endereçadas à mídia, além de reivindicar autorias de crimes e criar uma atmosfera de terror e medo na pequena Winchita, criando um jogo (termo muitas vezes descrito pelos próprios investigadores, conforme vídeo a seguir) de gato e rato com a polícia.

Mais velho de todos os irmãos e filho de William Elvin Rader e Dorothea Mae Cook. Quando criança, costumava torturar animais. Em 1957, foi confirmado como membro – e lider – da Igreja Lutherana. Casou-se com Paula Dietz e teve dois filhos. Se graduou como Bacharel em Administração.

Pode ter matado pelo menos 10 pessoas e fazia de seus crimes verdadeiras alegorias de crueldade e loucura. Ele mandava muitas cartas à policia e meios de comunicação pública, dizendo como eram seus crimes e como os fazia, descrevendo-os friamente: demonstrando uma estrutura extremamente narcisista e seu prazer pelo “jogo” com as autoridades policiais.

Para compreender melhor termos sobre o assunto, recomendamos a leitura do artigo “Psicopatia e a mentira“, de autoria do Dr. Sérgio Senna.

 

Pausa temporária nos crimes.

Depois de 1991 seus crimes cessaram, não se sabe a razão de Rader ter parado de matar a partir desta data, ele começou a trabalhar como “Homem da Carrocinha” e usava armas com tranquilizantes para pegar os cachorros das ruas, inclusive se envolvendo em alguns problemas com donos de alguns cachorros que sumiram de certas residências. Dennis Rader foi preso em 26 de fevereiro de 2005, pelo Chefe de Polícia de Winchita, Norman Willians, quando, friamente e sem arrependimentos, assumiu ser BTK.

O vídeo abaixo possui aproximadamente 45 minutos, e conta a história do psicopata BTK de forma mais detalhada, inclusive propicia uma análise mais fidedigna das emoções envolvidas pelo réu e pelos investigadores. O vídeo é dublado/legendado.

Interessante notar no vídeo, que durante sua condenação, o mesmo durante quase todo o julgamento, não demonstrou grandes emoções, a não ser quando seu “ego” era atacado: Observem que quando Norman Willians desmerece seus métodos, infantilizando as atitudes do assassino, BTK expressa um descontentamento com o que é falado (no minuto 37:56 comprime a bochecha contra os dentes molares, puxa a boca para o lado esquerdo unilateralmente, tanto que rapidamente põe a mão para ocultar a emoção).

Entretanto, o mesmo não esboça nenhuma emoção quando é acusado dos crimes, ou ainda, enquanto narra suas próprias barbáries.

Filme: Caçada ao assassino BTK

A história deste assassino em série inclusive virou filme. Mais informações aqui.

Como ocorre o processo emocional neste tipo de indivíduo? Focando no caso BTK, nos próximos artigos tentaremos entender quais razões podem ter levado o mesmo a passar um longo período sem matar, como ele conseguiu criar este “camaleão” social (família, amigos, religião, etc) e porque adorava o “jogo” com as autoridades policiais.

 

E você? O que pensa sobre isso? Deixe-nos o seu comentário!

Saudações e prossiga acompanhando os nossos artigos.

Edinaldo Oliveira

 

Referências:

CASOY, Ilana. “Serial Killer, Louco ou cruel?”, 8ª edição. São Paulo: Ediouro, 2008

PIMENTEL, Déborah. “Psicopatia Da Vida Cotidiana”; Estud. psicanal.  no.33 Belo Horizonte jul. 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S0100-34372010000100002&script=sci_arttext. Acessado em: 04/07/2012

SABBATINI, Renato e CARDOSO, Silvia Helena. “Sociopatas: Predadores Humanos”; Revista Mente e Cérebro. Disponível em: http://www.cerebromente.org.br/n12/doencas/sociopatia.htm. Acessada em: 04/07/2012


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

JUNIOR, Edinaldo Oliveira. Psicopatia e o Caso BTK. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/psicopatia-e-o-caso-btk/> . Acesso em 4 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Junior, Edinaldo Oliveira. (2012). Psicopatia e o Caso BTK. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 4 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/psicopatia-e-o-caso-btk/.

The following two tabs change content below.

Edinaldo Oliveira

Graduado em ADMINISTRAÇÃO - GESTÃO DE NEGÓCIOS pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru/PE (2005) e Pós-Graduado em Engenharia de Software pela mesma faculdade, em 2010, além de graduado em Gestão da Tecnologia da Informação, pela ESTÁCIO, em 2014. Diletante do campo da psicologia, com foco no estudo da comunicação não verbal, especialmente no que se refere as expressões faciais, e como esta ferramenta pode ser aplicada em diversas áreas, a saber: segurança, defesa, educação, vendas, nas organizações e na saúde. Além disto, é amante da astronomia, astrofotografia e fotografia.
Posted in Psicopatia and tagged , , , , , , , , , , .

3 Comments

  1. Quanto a Marcelo Nascimento da Rocha, é evidente, conhecendo sua história e seu modo de ação, que ele possui Transtorno de Personalidade Anti-Social (os popularmente chamado Psicopatas). Vejam os critérios diagnósticos e percebam que ele se encaixa, de acordo com as informações que ele mesmo deu em entrevistas:

    DSM-IV

    301.7 Transtorno da Personalidade Anti-Social

    Critérios Diagnósticos

    A. Um padrão global de desrespeito e violação dos direitos alheios, que ocorre desde os 15 anos, indicado por, no mínimo, três dos seguintes critérios:
    (1) incapacidade de adequar-se às normas sociais com relação a comportamentos lícitos, indicada pela execução repetida de atos que constituem motivo de detenção
    (2) propensão para enganar, indicada por mentir repetidamente, usar nomes falsos ou ludibriar os outros para obter vantagens pessoais ou prazer
    (3) impulsividade ou fracasso em fazer planos para o futuro
    (4) irritabilidade e agressividade, indicadas por repetidas lutas corporais ou agressões físicas
    (5) desrespeito irresponsável pela segurança própria ou alheia
    (6) irresponsabilidade consistente, indicada por um repetido fracasso em manter um comportamento laboral consistente ou de honrar obrigações financeiras
    (7) ausência de remorso, indicada por indiferença ou racionalização por ter ferido, maltratado ou roubado alguém

    B. O indivíduo tem no mínimo 18 anos de idade

    C. Existem evidências de Transtorno da Conduta com início antes dos 15 anos de idade.

    D. A ocorrência do comportamento anti-social não se dá exclusivamente durante o curso de Esquizofrenia ou Episódio Maníaco.

    (http://virtualpsy.locaweb.com.br/dsm_janela.php?cod=197)

    Lembrando que uma outra característica que observamos nos transtornos de personalidade é a dificuldade dos indivíduos em se considerarem doentes, e portanto não se tratam.

  2. Rogério,

    Obrigado pelos comentários e bem lembrada a história retratada no filme VIPS…

    Conheço a história Marcelo Nascimento (inclusive assisti o filme), mas em minha opinião, o cara era uma cópia barata do Frank Abagnale, que também ganhou filme (Prenda-me se for capaz).

    Para quem não conhece o Marcelo Nascimento, fica um link com uma entrevista dele:

    httpv://youtu.be/Y7OBBDooLWA

    O mesmo sempre sorri quando fala nos golpes, bem interessante…poucas vezes parece chateado.

    Abraço,

    Edinaldo Oliveira

  3. Excelente artigo, Edinaldo, muito bom! Vou esperar os próximos artigos para dar uma opinião mais concreta.

    Sugestão: Como foi feito sobre o caso BTK, eu acho que seria também muito interessante fazer uma análise sobre o caso de Marcelo Nascimento da Rocha.
    Um breve resumo pra quem não conhece, Marcelo foi um vigarista do Paraná que através de mentiras, desfrutou de um vasto mundo de oportunidades, perigos e vantagens, sua história até virou um filme ”Vips: Histórias Reais de um Mentiroso”.
    Ele se passou por filho do dono da Gol, olheiro da seleção, delegado, líder do PCC, guitarrista do Engenheiros do Havaí, policial federal, repórter da MTV… e muitos outros personagens criados por ele.
    Acho que é um ótimo caso de análise! Já que ele conseguiu tudo isso, apenas mentindo.

    Vou mandar o link de um documentário que foi feito sobre ele.
    Quem puder assiste, é muito bom.
    Se caso já tenha sido feito uma análise sobre este caso, gostaria de ver o link, pois não encontrei.

    http://ultimosegundo.ig.com.br/cultura/cinema/documentario+revela+historia+por+tras+do+filme+vips+assista/n1300011531414.html

    Att. Rogério.

Deixe uma resposta