Radiografia dos golpes

Muitas pessoas, ao saberem que eu estudo cientificamente o fenômeno da mentira, me perguntam sobre os golpes diários que são aplicados em nossa sociedade e querem saber se há formas de se prevenirem sobre isso.

Estive pensando como ajudar essas pessoas e resolvi escrever alguns artigos que explicam os mecanismos psicológicos dos golpes, o que pode ajudar os nossos leitores a se conhecerem melhor e entenderem por que podem entrar na lista de vítimas dos vigaristas.

De fato, as atitudes preventivas são muito simples. Entretanto, as pessoas caem em golpes infantis, sendo muito comum que a própria vítima nem acredite que foi tão ingênua….

Uma boa estratégia preventiva começa entendendo as fases gerais de um bom golpe. Toda picaretagem passa por três fases principais:

  • A promessa;
  • A fidelização;
  • O truque.

Nesse vídeo o Dr. Sergio Senna explica as fases do golpe:

A promessa

Radiografia dos GolpesNa fase da promessa, o vigarista vai (1) chamar a atenção da vítima, (2) estabelecer algum tipo de contato, (3) e introduzir a sua proposta. Nessa fase, em golpes mais elaborados, outros comparsas podem participar para dar mais credibilidade ao picareta que está interagindo com as vítimas. Apesar disso tudo, essa fase se caracteriza por uma promessa “irrecusável”.

Sob o ponto de vista psicológico, pessoas vaidosas ou gananciosas são vítimas potenciais que são sempre procuradas pela atenta percepção dos estelionatários. Essas características as fragilizam brutalmente, tornando-as presas fáceis…

 

[srp widget_title=”” thumbnail_width=”200″ thumbnail_height=”110″ post_title_above_thumb=”yes” post_type=”post” post_limit=”1″ post_content_type=”excerpt” post_content_length_mode=”fullcontent” post_date=”no” post_author_url=”no” post_category_link=”no” post_include=”9903″ title_string_break=”” string_break=”” rw_opt=”Array”]

A fidelização

A fidelização é caracterizada por algum tipo de estratégia que tenha por objetivo dar credibilidade à proposta realizada na fase anterior. Nessa fase, são utilizados artifícios que levem a vítima a acreditar que a proposta é verdadeira e que ela sairá ganhando.

Por exemplo, alguém que quer se fazer passar por um médico, pode pedir que um comparsa ligue para o telefone da vítima (um hotel, por exemplo) procurando pelo Dr. Fulano, que está hospedado ali, ou mesmo enviar alguma mensagem escrita ou radiografia que será “examinada” diante da vítima.

Cumplices estrategicamente ensaiados também são comumente utilizados nessa fase. Alguém que chega e fala de uma compra anterior bem sucedida, alguém que ganha o prêmio etc. O que a vítima não sabe é que essas pessoas fazem parte do esquema.

Sem falar muito, um ambiente de credibilidade pode ser rapidamente construído, tornando a vítima mais suscetível ao golpe. É uma fase muito importante para que qualquer falcatrua seja bem sucedida. Afinal, por que alguém depositaria R$ 2.000,00 numa conta bancária alheia para receber R$ 20.000,00? Se você vai receber tanto dinheiro, basta descontar a taxa da quantia a ser recebida…. Entretanto, esse é um dos golpes mais aplicados e bem sucedidos no Brasil.

[srp widget_title=”” thumbnail_width=”200″ thumbnail_height=”110″ post_title_above_thumb=”yes” post_type=”post” post_limit=”1″ post_content_type=”excerpt” post_content_length_mode=”fullcontent” post_date=”no” post_author_url=”no” post_category_link=”no” post_include=”9952″ title_string_break=”” string_break=”” rw_opt=”Array”]

O truque

Radiografia dos GolpesNa fase do truque, alguma estratégia será utilizada para trocar o produto, o maço de dinheiro, as cartas do jogo, o que quer que seja o objeto do golpe.

Esse momento se caracteriza pela distração da vítima enquanto o truque é realizado. Normalmente, os golpistas são verbalmente muito hábeis e também nos movimentos manuais. Os estelionatários também incluem elementos de controle nessa fase, como por exemplo garantir que a vítima esteja num local específico durante um determinado período de tempo necessário à realização do truque.

Além disso, alguma situação externa pode ser criada para distrair a vítima apenas pelos instantes necessários à realização do “truque”. Um casal tendo uma acalorada discussão em tom de voz alto sobre assuntos pessoais é um exemplo dos artifícios mais utilizados para distrair as vítimas.

Os meus conterrâneos cariocas sabem do que estou falando quando lembram daqueles jogos de cartas lá do Largo da Carioca, nas proximidades do Ed. Av. Central (quem nunca parou para ver aqueles jogos?). É alguém que grita no meio da multidão ou um “espectador” que interage, roubando a atenção por alguns breves instantes.

[srp widget_title=”” thumbnail_width=”200″ thumbnail_height=”110″ post_title_above_thumb=”yes” post_type=”post” post_limit=”1″ post_content_type=”excerpt” post_content_length_mode=”fullcontent” post_date=”no” post_author_url=”no” post_category_link=”no” post_include=”9953″ title_string_break=”” string_break=”” rw_opt=”Array”]

Nesse artigo, expliquei as fases gerais de qualquer golpe. Lembre-se que, dependendo da criatividade dos criminosos e de sua proficiência, essas etapas podem ser difíceis de identificar e também podem ocorrer simultaneamente.

Nos próximos artigos, explicarei melhor quais são os mecanismos psicológicos dos quais os vigaristas se valem para tentar nos enganar em cada uma dessas fases.

 

Para encerrar, lembre-se. Se uma proposta é boa demais para ser verdade, provavelmente ela não é verdadeira!

 

Veja a matéria do Jornal de Brasília, do dia 23 de janeiro de 2013, sobre esse assunto:

 

Faltou uma abordagem um pouco mais didática, como a que estamos apresentando aqui, mas valeu a matéria, não?

 

Outra matéria, agora acerca dos picaretas que exploram a curiosidade das pessoas sobre a tragédia em Santa Maria – RS

 

Todo o cuidado é pouco, siga aprendendo nas matérias do IBRALC!

Abraço

Sergio Senna


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Radiografia dos golpes. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/radiografia-dos-golpes-i/> . Acesso em 3 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2013). Radiografia dos golpes. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 3 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/radiografia-dos-golpes-i/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in A Mentira, Dicas and tagged , , , , , , , , , , , .

41 Comments

  1. Ontem, comentei na postagem dos golpes que eu poderia apostar que pessoas inescrupulosas já estariam se aproveitando do luto das vítimas do incêndio ocorrido em Santa Maria para aplicar golpes.

    Ao responder o meu comentário, nosso colaborador Rogério avisou sobre a seguinte matéria:

    Brigada Militar alerta sobre golpe por telefone

    A Brigada Militar alerta para golpe aplicado por aproveitadores que se passam por familiares das vítimas da tragédia em Santa Maria que enfrentam problemas na estrada. Conforme a BM, golpistas se passam por familiares que precisam de dinheiro para pagar mecânico.Ligações são feitas de fora do Estado, diz a Brigada Militar.

  2. bem comentado, eu como estudante da área de TI além de cursar tudo sobre Segurança da Informação que é minha área de destino vejo muito sobre engenharia social, principalmente por que temos que conhecer todos os pontos, conhecer bem os golpes pois também atuamos como Hackers Éticos, estão de parabéns pelas postagens continuem assim e sempre terão participantes interessados e com conteúdo a acrescentar, contem comigo.

  3. A propósito, eu mesmo recebi um telefonema em que o salafrário dizia que EU estava sequestrado…… Imagina!

    Eu tive que curtir com a cara do pilantra, depois de dar corda para ver até onde ia… tinha até alguém para gritar.

    Esse golpista foi descuidado, pois não se certificou que eu estaria indisponível. Mas existem golpes muito elaborados, que também tratarei em artigos posteriores.

  4. Gostei dos depoimentos. Um aspecto que notei ao longo do tempo em que mantenho o conteúdo do IBRALC é que temos dois tipos básicos de leitores e também frequentadores de nossos cursos.
    1. pessoas que sempre tomaram muito cuidado em suas vidas e querem levar a sua percepção a outros níveis mais avançados;
    2. pessoas que desejam desenvolver a sua percepção, mas já passaram por dissabores que as fizeram prestar atenção para essa necessidade.

  5. Edinaldo nunca caí em nenhum golpe, mas também entro dentro da descrição feita por Bruno Martins, sou muito desconfiada, procuro escutar com calma e protelar qualquer resposta. Acho que é uma forma de analisar o que a pessoa está realmente querendo dizer. Mas na maioria das vezes esses golpistas lidam com o emocional da pessoa, nem dão tempo pras pessoas respirarem, e quanto aos golpes de e-mail, acho que as pessoas caem por curiosidade mesmo.

  6. Excelente artigo! Acho que não existe uma pessoa nessa vida que não esteve, pelo menos a beira, de sofrer algum golpe.
    Não vejo isso acontecer com frequência onde moro, na verdade, é bem raro, pelo menos esses golpistas de rua, aqueles que fazem jogos de cartas, copos ou outros artigos, mas sempre há notícias sobre fraudes, bilhete premiado e coisas do gênero.
    Lembro de uma vez, uma mulher estava tentando vender um aparelho de dvd com um preço baixíssimo, segundo ela nunca usado, para conseguir pagar as contas do filho que estava internado no hospital, coincidentemente ela deu o nome do hospital que, na época, eu estagiava.
    Sempre fui desconfiado, sempre duvidei de tudo que me disseram, sempre busco mais de uma fonte para me certificar de que aquilo que estou aprendendo ou me informado é realmente verdade. Não foi diferente com essa mulher, nessa abordagem ela me contou a história do seu filho, há quanto tempo ele estava lá e alguns detalhes mais.
    Uma das “táticas” que eu costumo/ava usar para perceber algum tipo de mentira, é repetir a mesma pergunta X vezes, usando palavras diferentes, porque a pergunta pode ser feita de X maneiras, mas a resposta tem que ser a mesma ou com pouquíssima diferença em todas as vezes.
    Perguntei o nome, ela disse que se chamava João, perguntei o que ele tinha, ela disse que ele estava internado por causa da gripe suína e estava na UTI: Primeiro, pessoas com gripe suína não podem ficar na UTI com outros pacientes, ficam isoladas recebendo um tratamento diferencial. Na sequência perguntei se ele estava com outros pacientes, e ela disse que sim. Depois de algum papo, voltei a perguntar de outra forma há quanto tempo ele estava no hospital, e na hora de dizer, ela diminuiu dois dias. Pois na primeira pergunta eu fiz ela me dizer o dia da semana em que estava e na segunda o número do dia, ambas as respostas não batiam. Como o nome do filho era “joão” e muito fácil de alguém lembrar, não tentei refazer a pergunta sobre o nome. Até para ela não desconfiar. O ponto chave foi quando chegou o marido dela falando: “então, arranjou comprador?” e ela “estou vendo com esse moço” olhei pra ele e perguntei “então seu filho está na ala de observação da gripe?” ele confirmou, interessante que ela havia me dito UTI. Desconversei virei as costas e fui embora.
    Como na maioria das vezes a proposta é sempre boa demais, praticamente irresistível, não são muitos que desconfiam, porque todos aspiram à oportunidade imperdível.
    E pra fechar o comentário, olhei na lista do hospital quando cheguei e claro que não tinha nem na UTI e nem na área de observação da gripe uma pessoa chamada João.
    Aguardando os próximos artigos!
    Abraços!

    Rogério B.

    • Prezado Rogério, obrigado mais uma vez pelos seus elaborados comentários que enriquecem o conteúdo de nossas postagens.

      Em uma postagem no Facebook, expliquei que temos dois tipos básicos de leitores:

       

      1. os naturalmente desconfiados que desejam conhecimento adicional para incrementarem as suas técnicas;
      2. os que já amargaram situações danosas e que perceberam precisar aprimorar a percepção.

       

      Esses artigos sobre os golpes foram escritos para essas pessoas.

      Tentei sistematizar as principais características dos golpes (com as quais vc já estava familiarizado, que percebi pelas estratégias preventivas que empregou).

      Os golpistas, assim como esses de sua narrativa, conhecem, na prática, o psiquismo humano e sabem que serão bem sucedidos em boa medida.

      Uma das entradas que mais exploram é a ganância, pois sabem que, seja sob o ponto de vista individual, seja o coletivo, a ganância é estimulada na sociedade…..

      Em inglês, essas entradas têm um nome bem representativo “THE HOOK” (o ganho). É mesmo como um gancho que prende a vítima ao golpista. A ilusão de estar diante de uma oportunidade única é explorada desde a antiguidade, pois é um dos nossos principais sonhos.

      Infelizmente, há pessoas frias o suficiente para tirarem recursos de idosos, pessoas necessitadas e até mesmo de famílias enlutadas.

      Temos aqui uma questão que se encontra no campo de estudo da Psicologia Moral, que trata de como as pessoas lidam com suas emoções, diante de suas crenças e valores, e em um contexto individual e coletivo.

       

      Ficamos tão atônitos (eu sempre fico, apesar de já ter muitos quilômetros rodados vendo essas coisas ocorrerem), ao ver os golpistas não sentirem nenhum remorso sobre enganar as pessoas.

       

      Posso apostar que, nesse exato momento, tem alguém tirando proveito das famílias enlutadas pelo trágico incêndio ocorrido em Santa Maria, que ceifou a vida de tantos jovens. Essas inescrupulosas pessoas sabem que o luto representa uma grande oportunidade para enganar, pois as vítimas podem se encontrar em um estado alterado de consciência pela morte do ente querido. Como alguém poderia se aproveitar das pessoas de forma tão vil?

       

      Nesse cenário, a maioria dos golpes acabam não relatados, pois as vítimas ficam com vergonha.
      Espero que seu relato de uma saída bem sucedida, sirva de ilustração aos nossos leitores sobre o que tratamos no artigo.

      Um forte abraço
      Sergio Senna

    • Obrigado, Dr. Sergio! Fico feliz com seus elogios!
      Nos tipos de leitores do portal, me encaixo perfeitamente no primeiro grupo, na verdade não apenas por ser desconfiado, mas sempre me interessei por essa matéria, usando de um termo pejorativo. Assim como o lado psicológico de cada um, sobre dialética, argumentação, retórica… estudar isso chega a ser prazeroso pra mim.
      E com toda certeza, apesar de ver matérias todos os dias e notícias sobre golpistas que “passam a perna” em pessoa necessitadas ou com o psicológico abalado, eu fico até revoltado ao saber disso. Também me pergunto como podem existir pessoas com tanta incapacidade de compreender e respeitar o sofrimento alheio.
      Como moro perto da cidade de Santa Maria, sei que a comoção foi grande, pois o efetivo que foi necessário foi conseguido em questão de horas, um exemplo, quando fui pensar em doar sangue para ajudar, estavam divulgando na tv que tinha tanta gente doando que não era mais necessário novos doadores, isso realmente me deixou extremamente impressionado, felizmente ainda os bons são a maioria.
      Mas infelizmente hoje já vi essa notícia:
      “Rádio Gaúcha Santa Maria:
      Brigada Militar alerta para golpe telefônico envolvendo a tragédia da boate Kiss, em Santa Maria.”
      Não há o que dizer, simplesmente lamentável.

      Abraços!

      E até logo mais!

      Rogério B.

  7. Veja bem… o próprio banco “confirmando dados” já é perigoso… Eu ainda estou tentando desenvolver o comportamento de NUNCA responder as perguntas se não tiver sido eu que liguei.

  8. “Estou tentando minha senha mas não funciona… minha senha é ‘abcdef’.” Hahaha. Quantas vezes… Sou relativamente novo, mas tenho saudades da época em que não vivi… ^^

  9. Bruno Martins É verdade…o que pego de usuário dando informações…sempre alerto dos perigos, mas muitas vezes não adianta.

  10. Porque as pessoas, em sua maioria, são ingênuas. Com uma boa conversa damos informações valiosas porque a pessoa soube o que falar… Acredito que nós que mexemos com TI temos uma maior facilidade em defender desses casos porque já temos preocupações com segurança da informação. Quando estava no técnico de TI e fiz trabalhos de Perícia Digital mostramos um vídeo de engenharia social em uma empresa estrangeira de telefonia… papo vai, papo vem… o “criminoso” da matéria conseguiu acesso a uma senha restrita da rede de telefonia. Em casos corporativos, podemos evitar esses problemas com simples procedimentos de segurança e uma boa educação. Nos casos pessoais devemos ter extrema cautela.

  11. É triste… mas veja bem como nós “evoluímos”? Esses dias eu estava lendo minhas HQ’s… e vi uma menção de um personagem, desconhecido, de outra época, perdido na atual, falando de como eram as pessoas antes… como eram as coisas… um dos exemplos… foi a carona… vocês dariam carona para alguém na BR hoje? Mesmo para uma mulher bonita? Depois de tantos golpes, porque não teria alguém “atrás do mato” só esperando?

  12. Tenho várias para relatar, umas que envolvem grandes executivos que vendem excelente imagem de pessoas idôneas, mas que não passam de meras máscaras. Gostaria de poder expor agora, mas não posso interagir agora devido o trabalho, mas logo relatarei em texto contando o caso. Abçs a todos!

  13. Acredito que entramos em uma área mais criminal, que particularmente adoro. Eu nunca caí nesses golpes, tantos físicos quanto virtuais, pois eu já sou desconfiado. Ligações, e-mails, abordagens… Eu ignoro tudo. As próprias séries de TV e sorteios eu já não acredito… ninguém dá dinheiro para os outros, as pessoas são egoístas. Porém, minha família já caiu em um pequeno golpe de celular… os criminosos conheciam meu parentesco com a vítima e ligaram para eles, fingindo que eu estava viajando para a cidade deles, que tinha acontecido algo, porém que eu havia ficado sem crédito, e pediram para depositar uma quantia X de créditos no celular. Meu parente o fez… na segunda tentativa, pedindo mais créditos, meus parentes desconfiaram e tentaram entrar em contato com minha mãe e consequentemente comigo, que estava indisponível, porém não estava em viagem. Os criminosos de hoje são inteligentes… eles estudam suas vítimas, pesquisam, observam… e agem! Seus dados pessoais nas redes, suas fotos, seu carro, até seus adesivos de família no carro cara… seu trajeto, seus gostos… passou uma reportagem na globo uma vez de um “vidente” da Globo… conversando com as pessoas… e descobrindo as coisas… porém estavam olhando o perfil da pessoa na internet… e no ponto de escuta repassando as informacões. Teve um cara que era fã de animais, queria abrir uma clínica… para um golpista, com essas informacões, o que custa ele chegar com as ferramentas certas? Uma sociedade? Etc…

  14. Charles Farias, Karina Rorman, Thiago Sálvio, Thiago Morais, Thiago Fonseca, Ariana Arruda – Já vivenciaram alguma experiência nesse sentido? Ou de algum colega?

  15. Michele Carvalho, Rogério Menezes Barbosa, Luciana Magalhães, Max Pereira, Lucas Radis, Dayse Costa Costa – Já vivenciaram alguma experiência nesse sentido? Ou de algum colega?

  16. Marcos Roberto, Felipe Carvalho Novaes, Ana Lúcia Hennemann, Ana Lúcia Palma, Bruno Martins, Juvencio Almeida – Já vivenciaram alguma experiência nesse sentido? Ou de algum colega?

  17. Lembro sim…esse foi elaborado, inclusive os valores dos rendimentos, pois não eram tão “gritantes” quanto outros golpes mais descarados…

  18. Tenho sempre a atenção chamada para os golpes virtuais, pois além de aproveitar o lado “ingênuo” das vítimas, muitas vezes possuem a vantagem da inexperiência tecnológica das vítimas, como trabalho na área de TI, já presenciei muitas vítimas, especialmente em golpes coletando dados bancários.

    Acho que informações e talvez alguns cursos focados nos prováveis golpes de TI possam ajudar a minimizar tais danos para os usuários.

    Essa semana recebi investidas de uma pessoa oferecendo um tal de Telexfree, que ao meu ver não passa de um esquema de pirâmide…acredito até que tal pessoa esteja ganhando algo neste momento, mas se olharmos com atenção a lógica financeira do esquema, é evidente que um dia o sistema não conseguirá mais prover os resultados que prometem, é matemática simples. Entretanto, como as vantagens são grandes e ainda por cima temos exemplos de algumas pessoas “ganhando”, a coisa realmente é bem tentadora. Mas basta fazer uma simples busca no google, sobre o telexfree, e observar inúmeras reclamações e processos (inclusive da PF) sobre a empresa, ou seja, no mínimo temos que levantas dúvidas sobre o assunto.

    E quem já não viu uma vítima de falso sequestro e de prêmios por celular, mediante compras de créditos para celular, para daí ter direito ao prêmio?? Temos que ficar atentos, se olharmos com calma, existem muitos sinais que apontam para um golpe, como a série do IBRALC demonstra.

  19. Verdade Edinaldo, as ofertas de ” trabalhe em casa” são famosas na internet e assim continuam porque existe um numero suficiente de vítimas para manter o negócio, o pior é que estas “propostas irrecusáveis” se encontram em grande numero fora da internet, como os famosos “jogos de piramide” e afins…

    Admiro a iniciativa do artigo, essas observações podem mesmo ajudar a reconhecer um truque.

    Abraços!

    David

  20. Simplesmente excelente!

    É fato que em geral cada golpe tem também, como foi dito, um perfil de vítima, tanto psicológico quanto socioeconômico.
    Se deixar levar pela sedução inicial é sempre uma armadilha, é interessante jamais dar propostas no ato, mesmo que pressionados, pois todas as idéias clareiam com algum tempo de simples reflexão…

    • Olá David,

      Ontem mesmo recebi propostas para um “negócio irrecusável”, só que virtual, coisa absurda se você parar para pensar um pouco (imagine que com um investimento de R$600,00 você ganharia R$5000,00 rapidinho, apenas fazendo publicidade na Internet).

      Temos que ter cuidado com os golpes virtuais também.

      Abraço,

      Edinaldo

    • Obrigado pelas suas gentis palavras, David.

      Minha intenção foi sistematizar os passos que os estelionatários geralmente utilizam para enganar as pessoas.

      Uma vez que alguém conheça esses passos poderá, mais facilmente, identificar que se trata de um golpe.

      Além disso, cada fase tem estratégias específicas de defesa.

      Por exemplo, uma linda mulher desconhecida pede alguma coisa para você com toda a amabilidade….. É hora de ficar muito atento, pois pode ser mesmo alguma pessoa precisando de ajuda, mas também pode a primeira abordagem da fase da promessa. Pode ainda ser uma estratégia para tirar a sua atenção na hora do truque, quando trocarão os produtos ou algo assim.

      A forma de reagir vai ser coerente com os riscos que a pessoa está disposta a correr.

      Eu, por exemplo, numa situação inicial de abordagem, nunca sou mal educado ou rompo o contato bruscamente até ter segurança de que estou sendo visado pelos golpistas.
      Um vez convencido que é uma trampa, eu não sou nem um pouco educado e rompo o contato assim que possível. Que procurem outro para enganar!

      Faço isso pessoalmente ou pelo telefone. Emails eu nem abro.

      Obrigado pelo seu comentário e continue lendo os nossos artigos.
      Abraço
      Sergio Senna

Deixe uma resposta