Uma experiência com a linguagem corporal na elucidação de um crime

É inconteste a importância da linguagem corporal em inúmeros setores da atividade humana. Podemos fazer uso dela com os mais diversos objetivos, e quando aplicada com critério, os resultados se mostram bastante positivos.

Linguagem Corporal Investigação

Lembro-me bem de uma história que meu pai contava – e já se vão uns bons quarenta e cinco anos deste relato – que numa de suas viagens aos Estados Unidos da América quando embarcado na Marinha Mercante, um dos marinheiros em território americano havia cometido alguma irregularidade, e a polícia esteve a bordo para tentar identificar o autor.

Segundo meu pai foram colocados em fila todos os que haviam desembarcado naquele dia, e dois policiais que falavam português conversaram com eles por alguns minutos e após separaram dois, foram convidados a conversar num ambiente reservado.

Poucas horas após, o autor havia sido identificado e conduzido a delegacia. Naquela época, ainda criança, imaginei que aquilo era possível pelo fato de os policiais dominarem alguma super técnica secreta que dava a eles o poder de desvendar crimes. Coisa de americano, pensei.

Hoje, seria razoável afirmar sem medo de errar, que ali já eram utilizados os recursos da leitura da linguagem corporal como um indicativo de possível culpa. Apenas indícios, que depois num interrogatório mais apurado foi possível desvendar a autoria.

O desconforto pode ser um bom indicador não verbal. Conheça as origens disso no artigo: As origens evolutivas do constrangimento 
Recentemente, já como policial, recebi em um de meus plantões de sábado, a informação de que um pescador veio a óbito no hospital local, em virtude de uma perfuração nas costas provocada por um acidente no convés do barco.

Para esclarecer as circunstâncias do pretenso acidente, fui a bordo. Analisei o local do acidente e como não consegui uma explicação razoável, convidei a todos os pescadores presentes, em numero de sete, a me acompanharem até a delegacia para melhores esclarecimentos.

 

Iniciei um interrogatório individual às 23:00 hs, e no meio da noite ainda sem uma explicação razoável para o dito acidente, um dos pescadores diante de uma pergunta contundente, me deu um sinal de profundo desconforto (engoliu pedra como se diz na gíria). Apostei nele e às 05:00 hs, obtive sua confissão. Estava esclarecido um homicídio.

Interpretar corretamente os sinais corporais, observar a incongruência entre o verbal e o não verbal, sempre considerando o contexto em que ocorrem, são ferramentas que o profissional de segurança não pode desconhecer. Um pequeno detalhe pode mudar o rumo de uma investigação.

 

Não foi um único sinal que me apontou o culpado, neste caso específico apenas me chamou a atenção para aquela pessoa; forneceu-me um indício que associado a outras técnicas de interrogatório proporcionaram a elucidação do crime. O desfecho deste caso poderia ter sido outro se aquele simples sinal não tivesse me chamado a atenção. Provavelmente uma situação análoga a ocorrida em New York anos atrás envolvendo um marinheiro e um policial americano.

 

 

Sobre esse assunto, veja também o artigo:

Não existe um único e definitivo sinal da mentira

 

Outros artigos que detalham mais este assunto podem ser encontrados neste site. Vale a pena ler.

Até breve.

Vicente Andrade 

 

Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

ANDRADE, Vicente. [post-name]. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/uma-experiencia-com-a-linguagem-corporal-na-elucidacao-de-um-crime/> . Acesso em [data-php].

Formato Documento Eletrônico (APA)

Andrade, Vicente. (2012). [post-name]. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em [data-php], de https://ibralc.com.br/uma-experiencia-com-a-linguagem-corporal-na-elucidacao-de-um-crime/ .

Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

. Uma experiência com a linguagem corporal na elucidação de um crime. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/uma-experiencia-com-a-linguagem-corporal-na-elucidacao-de-um-crime/> . Acesso em 2 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

. (). Uma experiência com a linguagem corporal na elucidação de um crime. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 2 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/uma-experiencia-com-a-linguagem-corporal-na-elucidacao-de-um-crime/.

The following two tabs change content below.

Vicente Andrade

Possui experiência de 23 anos em segurança pública com atuação principal na área investigativa. Formado em segurança privada, desenvolveu experiência em segurança pessoal de dignatários. Realiza graduação em Filosofia (bacharelado) pela UNISUL - Universidade do Sul de Santa Catarina. É estudioso da linguagem corporal há cinco anos, mantendo o foco em sua utilização na área de segurança. Contatos pelo email: [email protected]
Posted in Segurança Pública e Privada and tagged , .

Deixe uma resposta