A verdade está sempre escrita em nossos rostos?

A verdade está sempre escrita em nossos rostos?

Assista o vídeo abaixo no qual o Dr. Sergio Senna explica os cuidados básicos que você precisa ter para realizar uma boa interpretação da linguagem corporal:

Os indicadores não verbais são bastante confiáveis, mas você precisa ter equilíbrio na interpretação.

Além disso, lembre-se de que só reconhecer uma emoção não adianta muito! você precisa saber o que fazer a partir de suas observações.

Quando as pessoas tentam, deliberadamente, ocultar suas emoções (ou inconscientemente reprimi-las), uma rápida expressão facial geralmente ocorre. Algo em torno de 1/15 a 1/25 de segundo. Apesar da brevidade desse tempo, os olhos humanos são capazes de perceber tais movimentos.

 

Microexpressões

Essas microexpressões são produzidas pela ação dos músculos faciais, cuja variada combinação de seus movimentos pode resultar em cerca de 10 mil expressões diferentes.

Como exemplo, uma microexpressão de desprezo pode ser vista na foto ao lado, de Francenildo Santos Costa, o famoso caseiro de uma mansão do Lago Sul em Brasília em um de seus depoimentos, onde observa-se o lábio levemente arqueado em apenas num dos cantos da boca, formando uma expressão unilateral desdenhosa. Repare que o movimento está “congelado” pela foto, mas no momento em que ocorreu foi muito rápido.

 

É possível ocultar as microexpressões e as emoções?

Muito embora alguém possa realizar esforços para esconder qualquer sinal de emoção, rápidos indícios são estampados no rosto numa fração de segundo. Essas pequenas mudanças na face podem ocorrer quando uma emoção está começando, mesmo antes que a pessoa possa sentir, conscientemente, a emoção ou a sua reação.

Com base nesse fato, o treinamento em reconhecer esses indícios pode melhorar a percepção das pessoas, quando se aprende a distinguir os sinais que interessam daqueles que devemos descartar. O vídeo a seguir (em inglês, mas o que importa são as imagens) mostra o presidente Obama em um discurso no Congresso. Preste atenção nas microexpressões de raiva, desprezo e surpreza.

 

No vídeo, observa-se que o autor destacou apenas algumas microexpressões, que podem ser confirmadas por outros movimentos realizados pelos nossos interlocutores. Como exemplo adicional, podemos citar o olhar para baixo e a movimentação negativa com a cabeça realizada por Joe Biden decorridos 1 minuto e 06 segundos do vídeo. Essa reação, rapidamente, substituiu a surpresa que a antecedeu.

 

Reconhecer as microexpressões é a mesma coisa que interpretá-las?

É importante ressaltar que as microexpressões podem indicar o que alguém está sentindo, mas não têm o poder de revelar os motivos pelos quais a pessoa se emocionou. Se alguém está mentindo, por exemplo, você verá sinais de estresse, raiva, medo ou uma composição de tudo isso. No entanto, ainda que você esteja certo e diante de um mentiroso, as razões e a maneira com que os fatos ocorreram permanecerão em segredo até que ele decida contar.

Além disso, nossas emoções são muito dinâmicas:

  • Mentira

    O que adianta apenas reconhecer que alguém sentiu raiva, por exemplo, uma vez que no momento seguinte essa raiva pode ser superada?

  • Se você reconhece mas não tem acesso aos motivos pelos quais a pessoa se sentiu de determinada forma. Será que suas conclusões serão robustas?

  • Muitas abordagens sobre a análise de emoções se baseiam na teoria do comportamento respondente (que é bem robusta e cientificamente comprovada). No entanto, em um ambiente repleto de estímulos, nem sempre é fácil reconhecer aqueles que antecedem e que eliciam determinada emoção. Nesse contexto, uma interpretação equivocada poderá causar problemas ao observador. 

 

As microexpressões não são, portanto, uma “bola de cristal”! Mas ajudam a estabelecer uma relação de interlocução baseada na verdade.

A partir da correta percepção, você pode estabelecer uma estratégia comunicativa para que a pessoa fale a verdade e conte aquilo que somente ela pode te revelar.


Aprender a reconhecer microexpressões pode ser muito valioso em sua vida pessoal ou até mesmo no trabalho. Elas podem alertá-lo para as perguntas certas a serem feitas ou mesmo para que você possa decidir que não vai perguntar mais nada.

Aproveite para conhecer a nossa seção sobre microexpressões e emoções:

Microexpressões e emoções

 Saudações e siga acompanhando nossas matérias.

Sergio Senna


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. A verdade está sempre escrita em nossos rostos?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/verdade-escrita-em-nossos-rostos/> . Acesso em 4 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2010). A verdade está sempre escrita em nossos rostos?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 4 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/verdade-escrita-em-nossos-rostos/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in A Mentira and tagged , , , , , , , , , , , , .

9 Comments

  1. Se mentiu ou falou a verdade pode ter certeza de que a verdade estará presente na face.Se mentiu pessa desculpa ou se possivel for pessa perdão. A Verdade vos libertará.

    Brasil – Bahia

    • Prezado Hermes,

      Devo lembrar que NEM SEMPRE a verdade estará na face, existem casos em que excelentes mentirosos podem proferir palavras que tragam em si a aparência da verdade.

      Quanto a questão de quem elaborou a mentira, podemos tentar entender o motivo que levou o próximo a pratica-la: querendo levar vantagem ou por limitações de lidar com sentimentos alheios?

      Abraço,

      Edinaldo

    • Prezado Hermes, obrigado pelo seu comentário e pela participação no Portal IBRALC.

      Lido com análise da mentira há um tempo razoável. Tenho experiência no tema e posso assegurar a você, não só pelos estudos que fiz, mas pela prática da entrevista em muitas situações diferentes que nem sempre é fácil identificar um mentiroso.

      Essas pessoas que mentem melhor e com mais eficiência, geralmente, são as maiores ameaças e as que podem causar danos a alguém (finaceiros, emocionais etc).

      Recomendo que dê uma olhada em nossas postagens sobre o assunto onde você encontrará argumentações mais robustas.

      http://ibralc.com.br/tag/mentira

      Um abraço
      Sergio Senna

  2. Formidável este site.
    Conhecí por acaso, pois efetuo muitas pesquisas sobre o tema -Linguagem Corporal – .
    E é de longe o melhor site dedicado a este assunto.
    Muito bom mesmo! Parabéns ao autor.

    • Prezado Leandro, obrigado pelo incentivo.

      Prossiga acompanhando nossas matérias.

      Um abraço
      Sergio Senna

  3. Pois é Tais, estou preparando uma sequência imperdível sobre alguns de nossos políticos com análises até um pouco mais detalhadas e didáticas do que a do Obama que nos serviu de ilustração para este artigo.

    Não esqueça de se registrar para ter acesso ao conteúdo exclusivo.

    Você não pagará nada para isso! Nossa intenção é formar uma animada comunidade de pessoas interessadas na Comunicação Não Verbal.

    Volte sempre e veja nossas novidades.

    Um abraço
    Sergio

  4. Tenho postado os vídeos em inglês, pois, em sua maioria, nos interessam as imagens dos movimentos ou como neste acima: o que interessa são as microexpressões. Para o efeito desse artigo, não importa o que está sendo dito.

    No entanto, estamos preparando uma série bem brasileira nessa mesma direção. E, como termina os vídeo, nada melhor que observar os nossos próprios políticos.

    Divirtam-se e aprendam.
    Sergio Senna

Deixe uma resposta