Mecanismos de distância entre os animais.

Mecanismos de distância entre os animais.

É interessante começarmos a entender que os animais, além do território em que habitam, possuem um espaçamento “virtual”, como uma espécie de “bolha” que os rodeiam, a qual varia de tamanho dentro de cada espécie e cuja função é manter um espaçamento adequado entre os demais animais (da mesma espécie ou de espécie diferente). Hediger (“Estudos da Psicologia e Comportamento de animais em cativeiro em zoológicos e circos”) identificou e descreveu várias destas “bolhas”, que parecem ser utilizadas, de maneira diferenciada, pela maioria dos animais, da seguinte forma:

1. Empregadas em encontros de indivíduos de espécies diferentes: a distância de fuga e a distância crítica;

2. Empregadas em encontros/interações de indivíduos da mesma espécie: distância pessoal e a distância social.

Neste artigo trataremos o que ocorre na relação entre o encontro de indivíduos de espécies diferentes e o espaçamento “virtual” ou “bolha”. Em outro artigo trataremos a relação entre indivíduos da mesma espécie.

 

Distância de fuga.

Podemos observar que qualquer animal selvagem só permitirá a aproximação de um animal diferente até uma certa distância antes de fugir, Hediger deu a este mecanismo de defesa o nome de “Distância de Fuga”, que de forma resumida, pode ser descrita como a distância suficiente para termos tempo hábil de fugir com êxito (esta distância é proporcional ao seu tamanho e ao tamanho do animal que se aproxima) .

Foi utilizado o termo “animal selvagem” para excluir animais domesticados. Em relação ao termo “animal diferente”, estamos incluindo também neste grupo o ser humano.

Segundo Simone da Silva Ximenez, “entender como a distância de fuga varia em diferentes organismos pode auxiliar a compreensão dos custos e benefícios envolvidos no comportamento de fuga, das diferentes estratégias associadas ao comportamento de fuga e dos comportamentos apresentados pelos predadores a fim de evitar a fuga de suas presas.”

Quanto maior o animal, maior a distância de fuga. Um animal de maior porte, como um antílope, foge quando o intruso se encontra até a 500 metros de distância, já uma lagartixa foge de uma distância de até 2 metros (HALL).

distância-entre-animais

Interessante notar a importância em reconhecer a bolha que rodeia os animais, no artigo “Contribuição dos estudos de comportamento de bovinos para implementação de programas de qualidade de carne”, os autores  citam que “[…] os bovinos são animais que gostam de rotina e que, ao que tudo indica têm boa memória. São capazes de discriminar as pessoas envolvidas nas interações, apresentando reações específicas a cada uma delas em função do tipo de experiência vivida, caracterizando assim um aprendizado associativo, do tipo condicionamento operante.”

Observem a importância de conhecer a relação no encontro entre indivíduos “estranhos” e “conhecidos”, pois tal fato altera a distância de fuga dos bovinos, assim, os produtores poderão auferir melhores resultados em termos de qualidade da carne, visto que irão gerar menos estresse nos animais.

Interessante perceber que quando domesticamos algum animal, conseguimos reduzir ou até eliminar esta distância de fuga, podemos perceber isto nos zoológicos, onde os animais pouco reagem aos olhares curiosos.

 

Distância Crítica.

Já a “distância crítica” é compreendida entre a distância de fuga e a distância de ataque. É uma zona estreita, que estará presente onde e quando existir uma possível reação de fuga, geralmente esta acontece quando a distância de fuga não ocorreu (por algum motivo que impede a locomoção do animal) ou foi interrompida (por algum obstáculo intransponível).

Imagine a situação ilustrada na imagem “Distância Crítica”: o leão não percebe nenhuma ameaça, visto que o homem está fora de sua zona crítica (do lado de fora da grade), na sequência, o homem entra na grade e se aproxima do leão, que não tem como recuar mais, pois existe uma barreira logo atrás dele, neste distância-críticamomento, se o homem continuar a se aproximar do animal, logo penetrará em sua distância crítica, fazendo com que o animal acuado avance lentamente em direção ao objeto de sua ameaça, conforme ilustração ao lado.

Por último, o homem recua um pouco (notem que não chega a atravessar a grade) até sair da zona crítica, e quase que automaticamente ,o leão para de avançar e pode inclusive recuar.

Uma figura que já foi bastante comum nos circos, é o famoso “domador de leões”, este desafiava a morte se colocando diante do movimento de caça de um leão, que sempre passava deliberadamente, durante o movimento de caça, por cima de algo parecido com um tamborete, a fim de alcançar o domador. Para fazer com que o leão ficasse em cima do tamborete, o domador rapidamente caminhava para fora da zona crítica, fazendo com que o leão parasse sua movimentação de caça (já que o domador não representava mais uma ameaça por conta do recuo).

Assim, notamos que as proteções do domador não passam de mero enfeite do espetáculo, visto que uma cadeira, um chicote e as vezes um revólver não iriam fazer o leão parar um ataque. Evidentemente que o domador conhecia precisamente a distância crítica do leão (que pode ser medida em centímetros).

No artigo “Lie to Me – Nono episódio“, de autoria do Dr. Sérgio Senna, existe um tópico interessante, intitulado de “O espaço mantido entre as pessoas revela suas relações”, no qual demonstra um pouco mais sobre nossa relação com o espaço em nossa volta.

Recomendo ainda a leitura do artigo “Como perceber o desconforto no abraço?“, também de autoria do Dr. Sérgio Senna, onde poderão notar a importância do espaço psicológico ao redor de nós.

Portanto, percebam a importância em conhecer a função desta bolha que rodeia todos os animais, passando assim a entender melhor seu comportamento, inclusive o do ser humano em suas relações com os demais que o cercam.

 

E você? O que pensa sobre isso? Deixe-nos o seu comentário!

Saudações e prossiga acompanhando os nossos artigos.

Edinaldo Oliveira

_________________________

Artigo originalmente publicado em 20 de junho de 2012.

Atualizado em 04 de agosto de 2016

_________________________

Referências:

Hall, Edward. “A dimensão oculta”.2ª edição. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora S.A. 1981. Edição original em inglês The Hidden Dimension.. Anchor Books, 1966

Hediger, H. Studies of the Psychology and Behavior of Captive Animals in Zoos and Circuses. Londres: Butterworth & Company, 1955

Mateus J.R. Paranhos da Costa, Eliane Vianna da Costa e Silva, Marcos Chiquitelli Neto e Marcelo Simão da Rosa. “Contribuição dos estudos de comportamento de bovinos para implementação de programas de qualidade de carne”. Disponível em: http://www.oecologiaaustralis.org/ojs/index.php/oa/article/view/oeco.2009.1301.09/334. Acessado em: 18/06/2012

Ximenez, Simone da Silva. “Corra Maria, corra! Distância de fuga em caranguejos Ocypode quadrata (Crustacea, Decapoda)”; Departamento de Ecologia  IB-USP. Disponível em: http://ecologia.ib.usp.br/curso/2011/pdf/simone_ximenez.pdf. Acessado em: 18/06/2012.


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

JUNIOR, Edinaldo Oliveira. Mecanismos de distância entre os animais.. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/mecanismos-de-distancia-entre-os-animais/> . Acesso em 4 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Junior, Edinaldo Oliveira. (2016). Mecanismos de distância entre os animais.. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 4 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/mecanismos-de-distancia-entre-os-animais/.

The following two tabs change content below.

Edinaldo Oliveira

Graduado em ADMINISTRAÇÃO - GESTÃO DE NEGÓCIOS pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru/PE (2005) e Pós-Graduado em Engenharia de Software pela mesma faculdade, em 2010, além de graduado em Gestão da Tecnologia da Informação, pela ESTÁCIO, em 2014. Diletante do campo da psicologia, com foco no estudo da comunicação não verbal, especialmente no que se refere as expressões faciais, e como esta ferramenta pode ser aplicada em diversas áreas, a saber: segurança, defesa, educação, vendas, nas organizações e na saúde. Além disto, é amante da astronomia, astrofotografia e fotografia.
Posted in Proxêmica (Língua Portuguesa) and tagged , , , , .

One Comment

  1. Prezado Edinaldo, parabéns por mais esse artigo.

    Espero que nossos leitores percebam que o comportamento humano, apesar de qualitativamente diverso dos demais animas, guarda relação no que diz respeito à ocupação e à movimentação no espaço físico.

    Guardando os devidos cuidados, aproveitar o conhecimento nessa área é mostra de inteligência e percepção.

    Desejo a todos uma boa leitura e que percebam as similaridades com o nosso comportamento no dia a dia.

    Um abraço
    Sergio Senna

Deixe uma resposta