Tipos de Gestos: Emblemas, Ilustradores e Manipuladores

Tipos de Gestos: Emblemas, Ilustradores e Manipuladores

No presente artigo falaremos sobre uma dúvida sempre constante: Os gestos. Você sabe o que seria um emblema, um gesto ilustrador ou manipulador? Qual a importância de tais gestos na contextualização da nossa comunicação?

Segundo Mônica Portela, “o comportamento não-verbal não apenas ajusta-se à expressão linguística, como também permite e favorece a expressão de intenções e de emoções. Este influencia todas as formas de relação, regulando a interação entre as pessoas. Ao participar de uma interação social, as pessoas o fazem com todo o seu “ser” (gestos, movimentos do corpo, expressão facial, olhar) e não apenas com as palavras.”

Recomendamos a leitura do artigo “Como a comunicação não verbal influencia o que falamos?” (clique aqui para ler), de autoria do Dr. Sérgio Senna, onde o mesmo demonstra a importância da comunicação não verbal.

Segundo Dr. Sérgio Senna, os “gestos e expressões faciais podem substituir a verbalização quando “nossa cara diz tudo”(…) A regulação do que estamos dizendo se dá pela sinalização dos momentos pelos gestos. Acenar para uma pessoa e esperar para falar é um exemplo, assim como utilizar o silencio como promotor da narrativa de alguém”.

Existem alguns tipos de gestos que merecem atenção:

Emblemas são sinais gestuais que, dentro de uma cultura, possuem um significado preciso, ou seja, são gestos independentes da fala. Como por exemplo ao balançar a cabeça em sinal de “sim” ou “não” ou levantar o polegar para cima, querendo dizer que está tudo bem.

Gesto emblemático, polegar para cima, informando que está tudo ok.

Ilustradores são gestos diretamente ligados à fala, tais gestos geralmente são utilizados para reforçar a fala do interlocutor. Se ficarmos mais atentos, perceberemos o quanto utilizamos as mãos para reforçar nosso discurso.

Gesto Ilustrador, dedo apontando para algo, reforçando o discurso verbal

Manipuladores ou Adaptadores são gestos feitos em direção ao nosso corpo ou a objetos, como por exemplo, esfregar as mãos, coçar, segurar botões, tocar a orelha etc.

 Gesto manipulador, indicando ansiedade ou desconforto físico.

 

Qual a relação dos gestos e a mentira?

Interessante perceber que tais gestos podem vir a ser utilizados como auxiliares na análise da mentira, pois os mesmos funcionam como complementos da linguagem verbal (em alguns momentos a substitui totalmente), os mesmos devem estar sincronizados com o que o interlocutor expressa verbalmente.

Alguns tipos de gestos muitas vezes são apontados como “indicadores da mentira”, ou seja, se coçamos o nariz durante a fala, provavelmente estaremos mentindo, ou ainda, se começamos a gesticular mais rápido ou mais devagar também estaríamos mentindo, o que nem sempre é verdade. Devemos observar o contexto e qual o comportamento padrão do interlocutor (ele sempre gesticula rápido ou devagar? gesticula muito ou pouco?), só assim poderemos perceber se de fato existe “algo errado” entre o que nos é falado verbalmente e não-verbalmente.

No artigo “O que evitar ou incluir na linguagem corporal?” (clique aqui para ler), de autoria do Dr. Sérgio Senna, percebemos outro fator importante: como nossos gestos podem influenciar a percepção que nosso interlocutor tem sobre nós, como por exemplo: apontar para alguém durante a fala ou  fazer gestos mais fortes com as mãos (dar cortes no ar ou bater uma mão na outra). Tais gestos geralmente estão mais associados à raiva.

Portanto, não devemos relevar nossos gestos durante um discurso, procurando sempre ficar atentos aos mesmos, pois a comunicação não-verbal faz parte da mensagem que tentamos transmitir. Em um próximo artigo aprofundaremos mais sobre a relação entre os gestos e como perceber suas alterações através da linha de base/baseline.

Até a próxima,

Edinaldo Oliveira

 

Referências:

PORTELLA, M.C. Como identificar a mentira: sinais não-verbais da dissimulação. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006

PIRES, Sérgio Senna. Como a comunicação não verbal influencia o que falamos?. Disponível em: http://ibralc.com.br/linguagem-corporal-comunicacao-nao-verbal/como-comunicacao-nao-verbal-influencia-falamos/. Acessado em: 14/08/2012

 


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

JUNIOR, Edinaldo Oliveira. Tipos de Gestos: Emblemas, Ilustradores e Manipuladores. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/tipos-gestos/> . Acesso em 3 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Junior, Edinaldo Oliveira. (2012). Tipos de Gestos: Emblemas, Ilustradores e Manipuladores. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 3 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/tipos-gestos/.

The following two tabs change content below.

Edinaldo Oliveira

Graduado em ADMINISTRAÇÃO - GESTÃO DE NEGÓCIOS pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru/PE (2005) e Pós-Graduado em Engenharia de Software pela mesma faculdade, em 2010, além de graduado em Gestão da Tecnologia da Informação, pela ESTÁCIO, em 2014. Diletante do campo da psicologia, com foco no estudo da comunicação não verbal, especialmente no que se refere as expressões faciais, e como esta ferramenta pode ser aplicada em diversas áreas, a saber: segurança, defesa, educação, vendas, nas organizações e na saúde. Além disto, é amante da astronomia, astrofotografia e fotografia.
Posted in Cinésica and tagged , , , , , , , , .

Deixe uma resposta