Códigos da Ação Facial

Sistemas para descrever as microexpressões faciais

Existem diversos sistemas de codificação da ação facial. Um deles é o Sistema de Codificação da Ação Facial (Facial Action Coding System – FACS) que foi proposto por Paul Ekman e Wallace Friesen, em 1976, para descrever as expressões faciais humanas. Ao longo dos anos, vem servindo como ferramenta  descritiva das expressões faciais e tem sido empregado em diversos trabalhos científicos sobre micro-expressões.

Esse sistema pode ser utilizado  para descrever qualquer expressão facial anatomicamente possível, isolando as unidades de ação muscular (Action Units – AU). Uma vez que as unidades de ação muscular são independentes de qualquer interpretação, elas podem ser usadas em conjunto com outros descritores, o que inclui a sua associação ao reconhecimento de emoções básicas, ou a comandos em sistemas de realidade virtual. A publicação de Ekman e Friesen (1976) é extensa e pode ser utilizada para descrever todos os movimentos faciais. Quando a codificação descritiva é associada a um sistema interpretativo, os significados dos movimentos podem ser reconhecidos.

Por exemplo, assim como a intrepretação do movimento muscular, a ação de músculos que elevam o lábio superior, levantam a bochecha e ajudam a fechar os olhos, pode ser usada para distinguir entre dois tipos de sorrisos:

codigos-acao-facial-Diferença-entre-sorriso-verdadeiro-falso

A: Sorriso sem sinceridade formado apenas pela contração do músculo zigomático maior;

B: Sorriso expontâneo, formado pela contração do zigomático maior, por outros músculos levantadores do lábio superior e pelo orbicular do olho.

A utilização sistemática do F.A.C.S. necessita de treino extensivo, e sua aplicação no cotidiano não é simples, necessitando do muito treinamento especializado. Esse tipo de sistema, como outros, possui a vantagem de poder ser associado às emoções (mediante um processo interpretativo) pelas funções que os músculos exercem em apresentá-las na face.

Sua praticidade é tal que vem sendo empregado em sistemas automatizados de reconhecimento facial e em jogos eletrônicos em personagens que chegam a apresentar micro-expressões. Modelos de rostos são usados em programas como o Alfred ou o Artnatomy (utilizado no curso Desvendando a Face) , que permitem a configuração artificial da expressão facial por meio da escolha das unidades de ação desejadas.

codigos-acao-facial-artnatomia

codigos-acao-facial-alfred


 

É importante ressaltar que o F.A.C.S. é um sistema descritivo do movimento muscular e deve ser utilizado em conjunto com um processo interpretativo.

Veja, abaixo, a tabela com as principais unidades do F.A.C.S

AU e Músculo

Ação principal

2

Frontal – parte externa

Levanta a parte externa da sobrancelha

codigos-acao-facial-au02

4

Corrugador do Supercílio + Prócero

Traciona a sobrancelha para baixo e medialmente, produzindo rugas verticais na fronte.

codigos-acao-facial-au04

5

Levantador da pálpebra superior

Levanta a pálpebra superior.

codigos-acao-facial-au05

7

Orbicular do olho – parte palpebral e retratores da pálpebra inferior

Atua nas expressões de raiva.

codigos-acao-facial-au07

9

Levantador do lábio superior e da asa do nariz e músculo nasal – parte transversa

Corruga o nariz

codigos-acao-facial-au09

10

Levantador do lábio superior

Dilata a narina e levanta o lábio superior.

codigos-acao-facial-au10

12

Zigomático Maior

Traciona o ângulo da boca para trás e para cima (risada).

codigos-acao-facial-au12

14

Bucinador

Comprime a bochecha contra os dentes molares, puxa a boca para um lado quando atingido unilateralmente.

codigos-acao-facial-au14

15

Depressor do ângulo da boca

Deprime o ângulo da boca.

codigos-acao-facial-au15

17

Mento

Eleva e projeta para fora o lábio superior e enruga a pele do queixo.

codigos-acao-facial-au17

27

Pterigoide, Digástrico

Abertura ampla e provocada da boca.

codigos-acao-facial-au27

 

Referências

Ekman, P. & Friesen, W. (1978). Facial Action Coding System: A Technique for the Measurement of Facial Movement. Consulting Psychologists Press, Palo Alto.

Del Giudice, M. & Colle, L. (2007). Differences between children and adults in the recognition of enjoyment smiles. Developmental psychology, 43 (3), 796–803.

Lints-Martindale, A.C.; Hadjistavropoulos, T.; Barber, B. & Gibson, S.J. (2007). A Psychophysical Investigation of the Facial Action Coding System as an Index of Pain Variability among Older Adults with and without Alzheimer’s Disease. Pain medicine (Malden, Mass.) 8 (8), 678–89.

Reed, L.I.; Sayette, M.A. & Cohn, J.F. (2007). Impact of depression on response to comedy: A dynamic facial coding analysis. Journal of abnormal psychology 116 (4), 804–809.

Boa leitura!

Um abraço

Sergio Senna


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Códigos da Ação Facial. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/codigos-da-acao-facial/> . Acesso em 3 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2013). Códigos da Ação Facial. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 3 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/codigos-da-acao-facial/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Coaching, Microexpressões and tagged , .

20 Comments

  1. Mais um excelente artigo! Realmente a mensuração e mapeamento facial são cruciais para a melhor compreenssão da expressão das emoções. Agora peço a ajuda dos amigos do portal, tive o contato com uma versão do FACS exposta na web, onde divulgam os 2 primeiros capítulos mas não tenho certeza da fidedignidade do arquivo, gostaria de saber se a versão complea do FACS é divulgada ou comercializada e onde posso consegui-la, procurei na web, mas consegui pouco material confiável.

    Um abraço!

    David Leucas

  2. Excelente artigo! Acredito que a mensuração e mapeamento sejam cruciais para a compreenssão da linguagem corporal. Gostaria de pedir uma direção aos amigos do portal, tive algum contato com o FACS, encontrei uma versão gratuita que inclui apenas os 2 primeiros capítulos, gostaria de saber se a obra completa é possivel de ser encontrada ou encomendada, procurei na web, mas sinceramente não encontei uma fonte confiável.

    Um abraço!

    David Leucas

    • Obrigado Edinaldo, conheço o site, eles disponibilizam uma versão para download dos primeiros capítulos, achei detalhado, mas acho que com algum esforço e dedicação é possivel acompanhar. Pretendo não perder esta edição do curso, a muito quero faze-lo mas o dever do trabalho nunca me deu a brecha, estou apenas finalizando questões de hospedagem, mas fico feliz de poder dizer que estarei lá.

      Mais uma vez grato pelo retorno!

    • Olá David,

      Com certeza você vai gostar do curso…vai sair com uma boa base de lá. Boa sorte!

      Abraço,

      Edinaldo

  3. Edinaldo mais uma vez obrigado, fico feliz e surpreso em saber que neste portal existe um colega de tecnologia, agradeço sua resposta e realmente você tem razão, foi uma ótima resposta e conselho, realmente vocês me surpreendem, fico feliz sempre que trago uma duvida até vocês e como sempre vocês com muita atenção e profissionalismo me atendem, muito obrigado e respondendo um questionamento seu…estudo sistemas de informação e estou no 5º semestre já passando da metade, mais uma vez obrigado.

    abraço.

  4. Olá Dr. Sérgio volto a você para pedir não só um conselho, mas também orientações informações, faço faculdade de tecnologia da informação e pretendo seguir carreira de segurança da informação, atuando na área de proteção e investigação de fraudes, vazamento de informações, pedofilia, roubo de informações, uma grande ferramenta que vou ultilizar é a tecnica de análise de expressões faciais tal como um grande perito criminal nesta área faz, Wanderson Castilho, agora é aqui onde entra a sua parte, é necessário um estudo de comportamento de infratores? como perfil psicológico de pedófilos ou criminosos habituais a serial killers, enfim é necessário para alguém que quer dedicar o futuro no ramo das investigações e estudo de linguagem corporal estudar comportamento ? como perfil psicológico? se não, o que você me aconselha estudar ? quais caminhos devo seguir, aon invés de estudar perfis psicológico de transgressores ao que devo me dedicar ? estou no caminho certo ? preciso de suas orientações , aguardo anciosamente a resposta deste e-mail Dr. Sérgio, é de vital importância para mim suas orientações, desde já gradeço muito,
    abraço.

    • Charles,

      Trabalho com T.I. faz alguns anos, e tenho grande interesse na área de segurança.

      Interessante seus questionamentos, entretanto, vejo um pouco de confusão. A área de T.I. possui um universo vasto de aplicações, e uma dessas áreas é a segurança, que por sua vez possui inúmeras sub-áreas de aplicação.

      O primeiro passo é definir qual será seu trajeto: você é programador? analista de suporte? analista de rede? ou seja: avalie primeiramente sua “grande área”. Definido isto, você facilita mais as coisas.

      Durante qualquer procedimento você precisará na maior parte do tempo de conhecimento técnico específico da área de T.I., entretanto, em determinado momento, PODE SER que seja necessário algum tipo de entrevista ou filtragem de um grande número de pessoas…por exemplo: você descobre que a origem de alguma ivasão veio de um endereço de um roteador pertencente a um setor de uma determinada empresa, e que este setor possui 50 funcionários, daí você terá que verificar pelo menos 50 estações, mas, se você conseguisse fazer um filtro, que reduzisse esse número para 20 ou 10 estações? Seria bem melhor.

      É neste ponto que entra a análise não verbal: durante conversas e entrevistas mais formais com os funcionários, será possível “arriscar um palpite” mais preciso, no que diz respeito a quais máquinas verificar primeiro.

      É isto…continue nos acompanhando.

      Abraço,

      Edinaldo Oliveira

  5. Ok Edinaldo aguardo a resposta, quando responder minha pergunta já gostaria de aproveitar e perguntar se vocês nao teriam previsão de realizar um curso aqui no Espirito Santo ? aguardo a resposta das duas perguntas obrigado

    • Prezado Charles,

      Dei uma olhada na cena que você citou (do segundo episódio, da primeira temporada). Até onde entendi o que foi demonstrado pelo analista, ao citar que a empresa lucrou, nada mais foi do que um gesto de ansiedade. Algum tempo antes, no mesmo episódio, lembra que o rapaz da barraquinha de lanche sempre que “mentia” (ou ficava ansioso) colocava a mão no pescoço? Então, o mecanismo é semelhante.

      Entretanto, não recomendo tomar uma atitude por um uníco indicativo, isso é feito no seriado apenas para incrementar a trama, mas na vida real, não funciona.

      Pense bem: será que esse gesto não seria um “padrão” do analista? para sabermos isso, deveriamos ver outros vídeos do mesmo, em uma situação semelhante…se o gesto sempre se repete, é bem provável que seja um “tique”, caso não, podemos buscar outros indicativos.

      Recomendo a leitura do artigo: “Não existe um único e definitivo sinal da mentira” :: http://ibralc.com.br/a-mentira/nao-existe-um-unico-definitivo-sinal-da-mentira/

      O Dr. Ekman, como bom investidor, mandou comprar as ações, pois sabia que seria um momento de “baixa” (ao contrário do que o analista falou, e a regra de ouro do mercado é: compre na baixa, venda na alta. (as vezes todos “engolem” a mentira, e a ação poderia subir à base de mentiras, mas provavelmente não iria se sustentar, afinal, “mentira tem perna curta” rsrs

      Quanto ao curso, recomendo que envie um e-mail para o IBRALC

      Abraço e continue nos acompanhando.

      Edinaldo Oliveira

  6. Olá a vocês do portal segredos da face, aqui estou eu com mais uma
    duvida trazendo a profissionais, bem vou direcioná-la a você Dr.Sergio
    mas sinta-se a vontade Edinaldo para responder, bem a algum tempo
    atrás lí um livro sobre linguagem corporal e a autora mencionou sobre
    a honestidade que é transmitida quando o individuo diz algo e
    exibe bem a palma da mão, porém eu assistí um episódio de Lie To Me
    e o Dr. Cal Lightman detectou uma mentira em uma declaração
    de um homem que após fazer a declaração mostrou a palma da mão,gostaria que me respondessem, em que ponto foi marcada
    a mentira ?
    Aqui darei a temporada , o episódio, os minutos e
    os segundos e gostaria muito que vocês pudessem dar uma olhada
    sei que podem responder a mais essa duvida e desde já agradeço a vocês pela
    atenção.
    abraços

    1º temporada
    episodio 02

    00:20 min /15 seg

    • Prezado Charles,

      Não esqueci de você, estou apenas sem tempo. Mas assim que puder vou dar uma olhada no seriado, e espero poder ajudar.

      Abraços,

      Edinaldo

  7. Ótima explicação Edinaldo muito obrigado muito bem explicado, ajudou sim agradeço pela atenção como sempre vocês do portal estão de parabéns. abraço

  8. Olá Sergio muito obrigado pela explicação realmente foi muito esclarecedor aproveitando aqui para agradecer ao Edinaldo Oliveira pelas dicas e já aproveitei e dei uma revirada aqui nos episódios de Lie To Me e encontrei os episódios sobre as expressões de reconhecimento lá vai. ” 2ª temporada. episódio nº 08 00:20 : 10 s ( 20 minutos e 10 segundos ) e aqui vai outro..” 3ª temporada. episódio nº 08 00:07 : 56 s ( sete segundos e 56 segundos).Desde já agradeço o empenho de vocês do portal em tirar minha duvida vocês estão de parabéns e fico muito feliz em participar sempre recebo essa atenção agradeço muito e aguardo pelo resultado da analise de vocês um abraço.

    • Prezado Charles,

      Dei uma olhada no episódio 08, da 3ª temporada, não tive a oportunidade de ver o episódio da 2ª temporada. Mas esta “expressão de reconhecimento”, na verdade, não existe como tal. O que aconteceu no episódio, foi uma incongruência entre a linguagem verbal e a não-verbal.

      Perceba que quando Lightman mostrou a foto, a personagem da delegada, achou que se tratava de uma expressão de medo, daí Lightman corrigiu, dizendo que não era.

      Ou seja, qual seria a reação “normal” durante um assalto ou agressão? Inicialmente “deveria” ser de medo, mas ao se deparar com um assaltante, que você percebe ser um conhecido seu, podemos ver uma expressão de surpresa (de imediato ou logo após a primeira reação de medo).

      Então, como alegar que não tem nada “errado”, quando se verifica no vídeo, no momento do assalto, uma expressão de surpresa ao invés de medo? Há de se analisar melhor os fatos.

      Outra coisa: Note que mesmo ao abaixar a face, a vítima levanta os olhos, tentando ver o agressor. Isso geralmente ocorre quando se tentar ver quem é o agressor, ou quando achamos que o reconhecemos, prática inclusive perigosa, pois já li relatos de assaltos que terminaram em assassinatos por conta da vítima reconhecer o agressor.

      Espero ter ajudado…

      Abraços,

      Edinaldo Oliveira

  9. Olá Sergio já fazia um tempo que nao participava do portal mas como diz o ditado o bom filho a casa torna, bom sem mais enrolação aqui vai mais uma das minhas duvidas.

    Sempre que assisto Lie To Me me consigo perceber (e sei que nao só eu como qualquer outra pessoa que presta atenção) consegue ver as micro expressões que a série apresenta de maneira destacada, porém existe uma que por mais que eu volte a cena ou congele a imagem não consigo perceber uma micro-expressão de reconhecimento, como poderia me explicar uma microexpressão de reconhecimento

    ex: quando uma pessoa vê outra e uma delas mostra uma micro-expressão de reconhecimento, que micro-expressão seria essa? como reconhecê-la ? desde já agradeço a atenção e por sempre ter respondido meus e-mails um abraço.

    • Prezado Charles, obrigado por mais esse sua participação.

      Antes de responder sua pergunta, gostaria de pedir que colocasse uma foto como exemplo da expressão de reconhecimento que você deseja entender.

      Assim ficará mais fácil para os demais leitores perceberem a explicação. Para adicionar a foto basta colocar o link.

      Saudações
      Sergio Senna

    • Olá Sergio realmente seria mais facil pra você tirar minha duvida se eu postasse alguma foto, mas infelizmente nao sei como encontrar uma foto com essa expressão,nem imagino como ela seja, se puder fazer algo por isso seria muito bom, ou dar um exemplo sem usar alguma imagem apenas com explicação.

      Passando para uma nova duvida, nessa semana assistí uma entrevista e nela uma mulher falava sobre dinheiro e como recebera e percebí um padrão, toda vez que era tocado o assunto sobre como ela conseguiu aquele dinheiro ela tocava nos brincos, na série Lie To Me o personagem Loker chamava isso de MANIPULADORES tocar no relógio ou na orelha, enfim isso é um sinal de mentira ?? ou tem algum outro significado ? desde já obrigado

    • Olá Charles sem ver qual é a expressão a que você se refere fica difícil explicar. Você nem sabe qual é o episódio e o momento em que essa expressão ocorre?

      Sobre os tipos de gestos, existe uma classificação geral dos gestos, que tentam atribuir a Ekman, mas é anterior a ele.

      Os principais gestos são:

      – Ilustradores;
      – Emblemas;
      – Adaptadores ou Manipuladores.

      Ilustradores são gestos que nos ajudam a contar a história. Falamos com as nossas mãos principalmente.

      Emblemas são gestos que possuem um significado negociado e conhecido coletivamente. Polegar para cima… quer dizer tudo bem.

      Adaptadores ou manipuladores são gestos que fazemos em direção ao nosso corpo ou a objetos. Esfregar as mãos, coçar, segurar botões, manga da camisa, tocar a orelha etc.

      A frequência dos gestos manipuladores aumenta quando estamos estamos tensos. Daí alguns dizem que podem estar associados à mentira. Quem defende isso interpreta que MENTIRA=TENSÃO.

      Esse raciocínio aparece nas formulações do Dr. Ekman. Então, segundo essa abordagem, manipuladores podem ser indicadores de mentira ou de auto-conforto quando a situação “esquenta”.

      Siga participando de nosso Portal.
      Um abraço
      Sergio Senna

    • Charles,

      Obrigado por nos visitar.

      Você se refere à percepção de algum tipo de emoção vista pelo personagem Lightman sem que exista o zoom? É isso? Tem alguns momentos em que se diz ver uma emoção, mas mesmo voltando não se percebe nada na face? Nenhuma raiva, alegria, etc…?

      Inclusive, com a personagem Ria, acontece muito isso, quando Lightman pergunta a razão da raiva dela, sem que percebamos qualquer expressão.

      Se não for isso, como Dr. Sérgio falou, basta indicar o episódio, e se possível em que minuto ocorre isso. Com certeza ajudaremos.

      Siga nos acompanhando, o portal terá muitas novidades.

      Abraços,

      Edinaldo Oliveira

Deixe uma resposta