Emoções básicas: quantas são?

As emoções básicas são um tema longe do consenso no meio científico. 

Ekman defende que as emoções básicas são aquelas universalmente reconhecidas e facilmente interpretadas através de expressões faciais específicas , independentemente da língua ou cultura das pessoas envolvidas na comunicação.

Os seres humanos são criaturas emocionais cujo estado de espírito geralmente pode ser observado através de suas expressões faciais. Nesse fato reside a grande importância de aprender a reconhecer e interpretar as emoções pelas expressões faciais.

Não se engane, existem diversas listas das chamadas emoções básicas. A mais conhecida foi proposta pelo pelo Dr. Paul Ekman que inicialmente defendeu a existência de seis (Raiva, Alegria, Tristeza, Surpresa, Medo e Nojo). Posteriormente ele acrescentou o Desdém à sua lista, perfazendo um total de sete emoções básicas. Abaixo, os principais teóricos das emoções básicas na proposta de Ortony e  Turner  (1990).:

Emoções Básicas

Para conhecer melhor as emoções básicas, veja a nossa postagem: Existem emoções básicas?

 

O novo estudo sobre emoções básicas

Uma nova pesquisa, publicada na revista Current Biology por cientistas da Universidade de Glasgow , questiona essa visão e sugere que existem apenas quatro emoções básicas .

Os pesquisadores estudaram o reconhecimento das emoções durante a formação das expressões faciais, do seu desenvolvimento no tempo. Para isso, utilizaram as unidades de ação muscular descritas no Facial Action Coding System.

A lógica do estudo foi verificar se ocorre a discriminação de uma emoção pelas expressões faciais desde o  primeiro instante do aparecimento da decorrente expressão facial.

A equipe do Instituto de Neurociência e Psicologia descobriu que, enquanto os sinais de expressão faciais de felicidade e tristeza são claramente distinguidos ao longo do tempo , o medo e surpresa compartilham um indicador em comum, que é a abertura dos olhos. Como isso ocorre bem no início da expressão facial, as pessoas podem confundir essas emoções básicas.

Emoção BásicaDa mesma forma, as expressões faciais de raiva e o nojo compartilham certas características. Isso ocorre por que a musculatura envolvida nessas expressões, em parte, coincidem. Raiva e nojo, por exemplo, podem ter a ação do músculo Levantador do lábio Superior e da Asa do Nariz ou do Levantador do Lábio Superior. Há que considerar também que, devido ao posicionamento próximo desses músculos, é improvável que apenas um deles seja contraído numa situação real.

 A coordenadora da equipe de cientistas, partindo de um ponto de vista evolucionista e tendo como pressuposto a utilidade funcional da comunicação de emoções pelas expressões faciais para a nossa espécie, argumenta que:

  • Reconhecer os indicadores precoces de perigo (reconhecimento do medo) traz vantagens para os integrantes de determinado grupo (humano ou não), pois permite uma fuga mais rápida;
  • O próprio formato da expressão pode trazer vantagens evolucionárias, uma vez que a constrição da narina pode impedir a inalação de partículas potencialmente pode permitir uma melhor visão e, consequentemente, aumentar as chances de sucesso na fuga.

Sua argumentação leva em consideração que a contração muscular não ocorre ao acaso, mas os movimentos que permitem essas vantagens funcionais ocorrem antes no tempo de formação da expressão facial típica de determinada emoção.

A partir de imagens reais, geraram-se modelos em três dimensões que foram observados por voluntários que tentaram reconhecer as emoções básicas expressas. Foi através desse método que eles descobriram que os indicadores de medo-surpresa e raiva-nojo eram percebidos de forma ambígua pelos observadores até que outros músculos entrassem em ação.

A principal conclusão da pesquisa é que os indicadores das expressões faciais típicas das emoções básicas seguem uma sequencia ao longo do tempo.

 

Minha opinião sobre emoções básicas e sobre o estudo

Estudando com mais cuidado a pesquisa, percebi que ela não invalida o que já está posto pelos trabalhos anteriores. De fato, existem diversas listas de emoções básicas (como mostrei acima), algumas incluem até uma quantidade maior do que seis emoções. Além disso, é necessário levar em consideração que a percepção de uma expressão é muito rápida. Um segundo ou menos é suficiente para que alguém perceba a emoção na face da pessoa e já comece a reagir a isso. Então, ainda não percebo a utilidade de dividir esse reconhecimento em fases num tempo tão curto.

Dentro de um segundo a pessoa já vê os elementos que diferenciam uma expressão da outra, como as diferenças nas aberturas dos olhos nas expressões de medo e surpresa, ou a presença da contração do músculo Risório nas expressões de medo, o que não ocorre na surpresa.

Para mais detalhes sobre isso, veja a nossa postagem: Medo e Surpresa você conhece as diferenças?

medo-surpresa

Sob o ponto de vista funcional e dos comportamentos adaptativos é isso que interessa. Em apenas um segundo é realizada a diferenciação entre as expressões e a emoção pode ser corretamente discriminada. Entretanto, penso que a pesquisa inova ao questionar se nossa percepção das emoções básicas pelas expressões faciais pode variar ao longo do tempo (mesmo que tão curto quanto um segundo). Isso pode ter um impacto significativo quanto ao reconhecimento de microexpressões parciais (aspecto não levantado pelos autores), pois nesse caso nem todos os músculos são acionados, o que poderia levar o observador de uma expressão a um erro de interpretação insolúvel.

Outro aspecto relevante é que não interessa muito qual o significado essas expressões tinham na época do homem das cavernas e sim como as pessoas as interpretam hoje. Afinal, não podemos esquecer que isso é evolução também…..

Referências:

Ortony, A., & Turner, T. J. (1990). What’s basic about basic emotions? Psychological Review, 97, 315-331.

Rachael E. J., Oliver G.B. G. & Philippe G. S. (2014) Dynamic Facial Expressions of Emotion Transmit an Evolving Hierarchy of Signals over Time. Current Biology. v.24, Issue 2, 187–192


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Emoções básicas: quantas são?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/emocoes-basicas-sao-seis-ou-quatro/> . Acesso em 4 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2014). Emoções básicas: quantas são?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 4 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/emocoes-basicas-sao-seis-ou-quatro/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Coaching, Conhecimento Básico, Curiosidades, Face, Microexpressões and tagged , , , , , , , , , , .

Deixe uma resposta