Como perceber o desconforto no abraço?

O abraço, linguagem corporal e o espaço psicológico ao redor de nós

Cada um de nós tem uma experiência diferente na interpretação da linguagem corporal e com a distância que as outras pessoas mantém durante a interação. Essas experiências podem variar de muito agradáveis e desejadas até as impressões de insuportável desconforto. Isso não é diferente no caso do abraço. Quem já não se sentiu mal quando alguém (desconhecidos, por exemplo) nos fala muito perto do rosto?

Não podemos ignorar que o nosso corpo é uma referência para nós. Quando o assunto é espaço e a sua ocupação, o corpo ganha uma importância especial.

Nossos sentidos são os principais responsáveis pela percepção das distâncias que devem ser mantidas. É obvio que também existe um fator cultural na linguagem corporal, pois aprendemos o que é adequado e inadequado em nossa educação.

Para exemplificar, temos a classificação proposta por Edward Hall em seu livro sobre linguagem corporal –  The Hidden Dimension (A Dimensão Oculta) em termos de quatro categorias:

Distância Referencial em relação à fala Nível de privacidade Exemplo na linguagem corporal

Íntima

 

 

 

5 a 45 cm

Cochicho Pessoal – Secreto

Políticos trocando idéias durante uma reunião, sem desejarem que os demais saibam do assunto.

 

 

 

 

Pessoal

 

 

 

45 cm a 1,20 m

Voz baixa Pessoal- Confidencial

Conversa amistosa entre duas pessoas.

 

 

 

 

Social

 

 

 

1,20 a 2,10 m

Plena voz Conversação social

A linguagem corporal de amigos conversando em um bar ou festa. Podem estar separados por uma mesa, sentados em poltronas ou mesmo em pé, de frente um para o outro.

 

 

 

 

Pública

 

 

 

mais de 2,10 m

Voz alta Público

Palestras, aulas e discursos.

 

 

 

 

 

A figura abaixo resume as áreas do espaço psicológico que imaginamos ao nosso redor e ao qual damos significado territorial na linguagem corporal. No abraço, as pessoas se expressam na área de toque.

Essa imagem é atribuída a um estudo sobre a circulação de pessoas no Metrô de São Paulo. Observe que as distâncias elaboradas por Hall foram utilizadas como referência.

Esse é um assunto complexo, que pretendemos desenvolver em diversos artigos no Portal Segredos da Face- Linguagem Corporal. Nesta ocasião trataremos do abraço, como expressão de alegria, de carinho e de comemoração onde, supostamente, as pessoas consentem a “invasão” do espaço íntimo.

Como “ler” a linguagem corporal e identificar o constrangimento em um abraço?

O abraço é uma manifestação de congratulação quase que universalmente adotada e aceita na linguagem corporal humana. Sua frequência e as situações em que é considerado aceitável variam de cultura para cultura.

Integrantes de alguns povos sentem-se muito desconfortáveis com abraços, enquanto outros o celebram, podendo abraçar pessoas estranhas sem o menor constrangimento.

Como, então, identificar o constrangimento na linguagem corporal do abraço?

A chave para responder essa pergunta encontra-se na observação da posição do corpo das pessoas que se abraçam. Veja as fotos abaixo que foram retiradas de vídeos da campanha “Abraço Grátis” (Free Hugs) que correu pelo mundo há alguns anos.

Nessa foto, observa-se que as barrigas das pessoas, no abraço, não se tocam. É muito comum que esse espaço se forme quando o abraço ocorre entre desconhecidos ou quando a situação o exige, mas as pessoas não se encontram confortáveis uma com a outra. O exemplo acima, retirado da mesma campanha, demonstra como uma das pessoas que abraça manteve seu braço esquerdo ao longo do corpo, evitando abraçar, completamente. A posição do corpo também está inclinada, encostando somente parte do lado direito do corpo para o abraço. Essa é outra demonstração de desconforto.

 

Veja o vídeo original da campanha Free Hugs (Abraço Grátis) e procure identificar quem se sentiu desconfortável com a proposta de abraçar um completo estranho:

Então, fique atento(a)! Ao perceber que uma pessoa se sente desconfortável com a proximidade (mesmo no abraço), entenda a linguagem corporal e procure respeitar as distâncias que os estudos científicos sugerem que são seguras para os fins que se destinam.

Aprenda a interpretar a linguagem corporal conosco, identificando o desconforto no abraço.


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Como perceber o desconforto no abraço?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/desconforto-no-abraco/> . Acesso em 2 Dec 2016.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2011). Como perceber o desconforto no abraço?. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 2 Dec 2016, de https://ibralc.com.br/desconforto-no-abraco/.

The following two tabs change content below.
Sergio Senna
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Sergio Senna

Últimos posts de Sergio Senna (ver todos)

Posted in Proxêmica (Língua Portuguesa) and tagged , , , , , .

86 Comments

  1. Realmente Suly, existe um grande desconforto por parte dos envolvidos…com exceção do Maluf, claro…rsrsrs (este é descarado mesmo).

  2. Os olhos e a expressão do Lula ,diz tudo, nao gosto, mas sou obrigado a fazer,então eu faço;ja os outros pura hipocrisia

  3. Prezada Suely, no portal tem um artigo que fala um pouco sobre os códigos de ações faciais…assim você entenderá melhor o assunto..depois posto o link aqui.

  4. Oi Suely, os números fazem parte de uma sistema descritivo internacional para as expressões faciais. Através dele podemos comunicar, com mais facilidade, o que está ocorrendo na face.

    Além disso, existem teorias que relacionam esses movimentos faciais a estados emocionais básicos como raiva, medo, desprezo e alegria.

    Aqui praticamos um pouco esa linguagem, mas admito que o ideal é explicar para que outras pessoas que não entendem a codificação possam igualmente acompanhar e debater juntamente conosco.

    Vc viu um pouco de nosso trabalho.

    Um abraço
    Senna

  5. Obrigado, Mariza Borges, pela sua colaboração. Esse histórico das relações entre as pessoas é muito importante para a análise dos comportamentos atuais e das reações que expressam nesse tipo de encontro como Lula e Maluf. Quem diria que Lula seria capaz de fazer uma aliança com Maluf e concretizar isso na residência desse último…..

  6. Marcos Roberto Como sempre, boa sua análise. Sou vou chamar a atenção para o trecho:

    “”QUANDO DR. PAULO MALUF DIZ, QUE JOSÉ GENUÍNO É UM BOM HOMEM, ELE (MALUF) MOVIMENTA A CABEÇA NA HORIZONTAL (SINAL DE NEGAÇÃO/ INCERTEZA), MESMO DIZENDO COM AS PALAVRAS QUE SIM”! SEU CORPO CONTRADIZ O QUE ELE FALA ! SNA “SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO”, SE PERCEBE BEM !”

    Não vai nesse indicador “sinal negativo com a cabeça”, isso é PNL, não é um indicador confiável.

    Para entender melhor, recomendo a leitura do artigo: http://ibralc.com.br/web-destaque/entenda-programacao-neurolinguistica/

    Abraço!

  7. QUERO ANALISAR O OUTRO VIDEO PARA QUE EU POSSA DEBATER COM VOCÊS, MAS REALMENTE ESTÁ DIFICIL POIS, MEU COMPUTADOR NÃO ESTÁ AJUDANDO ! AMANHÃ NO EMPRESA COM CERTEZA IREI ASSISTIR O VIDEO DO LULA, DO CANDIDATO A PREFEITO E DO DR. PAULO MALUF. EDINALDO AMANHÃ , DESCULPA MAS MINHA INTERNET NÃO ESTÁ AJUDANDO MUITO AQUI EM CASA ABRAÇOS.

  8. BOA NOITE A TODOS! GOSTARIA DE PRIMEIRO ANALISAR SOBRE O VIDEO “MALUF DIZ QUE PT QUE MUDOU”.
    00:35 – TEMOS AQUI INDICADOR AU2 – FRONTAL PARTE EXTERNA (LEVANTA A PARTE EXTERNA DA SOBRANCELHA E PODE PRODUZIR RUGAS HORIZONTAIS NO CENTRO DA TESTA), BEM DESTACADO NO VIDEO. TEMOS TAMBÉM INDICADOR AU5 – LEVANTADOR DA PÁLPEBRA SUPERIOR (ABRE A PÁLPEBRA SUPERIOR, DANDO A IMPRESSÃO DE ATENÇÃO E PRONTIDÃO). TEMOS AU27 – PTERIGÓIDE LATERAL, DIGÁTRICO (ABERTURA AMPLA E PROVOCADA DA BOCA). OBSERVEM O INDICADOR DE EMOÇÃO SURPRESA, LOGO QUE O ENTREVISTADOR LHE FAZ UMA PERGUNTA.
    00:36 / 00:38 – TEMOS UM INDICADOR AU4 – CORRUGADOR DO SUPERCÍLIO + PRÓCERO (TRACIONA A PARTE INTERNA DA SOBRANCELHA PARA BAIXO, PRODUZINDO RUGAS VERTICAIS ENTRE AS SOBRANCELHAS), BEM VISÍVEL E, UMA OBSERVAÇÃO INTERESSANTE: “QUANDO DR. PAULO MALUF DIZ, QUE JOSÉ GENUÍNO É UM BOM HOMEM, ELE (MALUF) MOVIMENTA A CABEÇA NA HORIZONTAL (SINAL DE NEGAÇÃO/ INCERTEZA), MESMO DIZENDO COM AS PALAVRAS QUE SIM”! SEU CORPO CONTRADIZ O QUE ELE FALA ! SNA “SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO”, SE PERCEBE BEM !
    00:41 / 00:42 – ELE (MALUF) QUER DIZER QUE “NÃO DEPRUDIA DE SEUS ADVERSÁRIOS” COM AS PALAVRAS, MAS, COM O CORPO PERCEBEMOS QUE ELE FAZ UM MOVIMENTO VERTICAL COM A CABEÇA (SINAL POSITIVO / SIM) , MAIS UMA VEZ SE CONTRADIZENDO ! TAMBÉM A MOVIMENTAÇÃO DAS MÃOS QUE É UM INDICADOR DE MANIPULAÇÃO / DISSIMULAÇÃO.
    REPAREM QUE O DR. PAULO MALUF TEM INDICADOR AU4 – CORRUGADOR DO SUPERCÍLIO + PRÓCERO (TRACIONA A PARTE DA SOBRANCELHA PARA BAIXO, PRODUZINDO RUGAS VERTICAIS ENTRE AS SOBRANCELHAS). SÃO INDICADOR DE RAIVA, ISSO PODE EXPLICAR PORQUE A MOVIMENTAÇÃO TÃO INTENSA DAS MÃO. QUANDO SENTIMOS RAIVA, O SANGUE CIRCULA MAIS RÁPIDO NAS MÃOS, POR ISSO A MOVIMENTAÇÃO (NÃO ESQUEÇAM O CORPO FALA, DÁ SINAIS)!
    JÁ O RESTANTE DO VIDEO, TEMOS MICRO EXPRESSÕES DE : INDICADORES DE DESPREZO, RAIVA, AVERSÃO, E SURPRESA !
    OBRIGADO E BOA NOITE A TODOS !

  9. Tudo que se tem pra concluir sobre isso é que essa ligação entre partidos não está nada segura, percebe-se isso pela “inquietação” de Lula e Haddad. E quanto ao desconforto do “abraço”, o clássico tapinha diz muita coisa…

  10. fiquei curiosa sobre o senhor que vc citou, a cara dele estava fechada, mas atento ao que diziam.Como não sou especialista não consigo decifrar o que sua expressão indica.

  11. Durante o vídeo, tanto de Lula como o do Haddad estão em uma situação extremamente desconfortável…vi indicadores “negativos”, como 1, 4, 7, 14, 17, 21….entendo que estivesse em uma situação desagradável. Depois posso detalhar melhor…

  12. Vocês observaram o senhor que esta atrás de Maluf? Careca de Terno Cinza e camisa branca…a partir de 2:16…esse vale olhar, escutando o discurso…

  13. Mas, vou tentar. Em relação à foto e ao vídeo da visita do Lula e do Haddad à casa do Maluf, fiquei com a impressão de que o Maluf estava se deliciando com aquela situação. O Lula me pareceu pela sua postura, estar cumprindo uma coisa desagradável, porém necessária, sem constrangimento, mas sem apreço. Acho que ele analisou os prós e contras e achou que valia a pena encarar a saia justa pelo minuto e meio a mais na tv para seu candidato. E o Haddad, afagando as costas do Lula me parece um gesto de pupilo agradecido. Tipo, esse cara tá encarando isto por mim. Observei, também, aquilo que o professor Sergio Senna Pires falou, em um dos vídeos o Haddad procura sempre dar uma volta para consertar a fala do Maluf e ao meu ver se esquivou de ter que explicar que quer o apoio dele, mas não a presença, quando perguntado se o Maluf estaria também nos palanques. Por fim, concordo, pelo menos em uma coisa, com o Maluf: Ele não mudou, sempre foi desonesto e nem dá para esconder porque é procurado(?) pela Interpol. mas o PT mudou. E na minha opinião mudou muito e para pior. De tudo o que eu mais gostei desta história foi a posição coerente da Erundina. Isto me dá esperanças…

  14. Oi Edinaldo Oliveira! Eu tenho muita dificuldade em analisar imparcialmente, tudo o que se refere ao Lula, ao Maluf e até ao Haddad. Acho que minha antipatia pessoal pelos dois primeiros é tão forte que só vejo a tentiva de engodo e armação e a cara de pau dos que se acham acima do bem e do mal. Quanto ao Haddad, não vejo isso, só acho que como ministro da Educação ele foi incompetente e portanto não o vejo como bom candidato para SP.

  15. Lula tira o Maluf da coligaçao vai ser melhor para o país, pois esse cidadão tem mandado de prisao pela interpol

  16. Pelo que vi no video o Lula apertou a mão de mais de uma pessoa de forma meio distante mesmo, sem muito prolongamento nem muito contato…o que se repete nos “semi-abraços” que ele distribui. Parece estar com pressa, cara fechada…

  17. A distância?? Fora isso, ainda tem um cidadão como barreira entre os dois?? Só consegui ver isso…por se tratar de uma foto, as expressões são pouco válidas….

  18. O que me passa nessa imagem é que o Lula está bem desconfortável com a situação, por isso o Haddad está sempre “confortando” o Lula. Já o Maluf está a vontade com essa situação, visto que isso beneficia e muito a ele.

  19. Pelo menos pela foto, não parece que o Lula evitou contato visual com Maluf. E pela expressão dele, analisando só a foto também, sem contexto, poderíamos supor que a expressão dele trata-se apenas de um emblema, não? Às vezes, quando as pessoas querem passar convicção elas não dão uma contraída na sobrancelha (AU 1)?

  20. Esse tipo de situação é bem comum mesmo. Parece instintivo do ser humano proteger aquilo que ele considera como sendo seu, e isso abrange não só bens materiais (o que inclui o corpo), mas também abstratos, como suas ideias, e principalmente a privacidade, que é o que foi posto em pauta. Acredito que a invasão espacial em conversas amigáveis não é sempre utilizada como recurso intencional, varia mais com o conhecimento que a outra pessoa tem da influência que a postura assumida tem na conversa. Como você, Edinaldo Oliveira, disse que a pessoa possui um cargo de chefia, talvez a frequência de fazer os ‘pedidos’ aos coordenados tenha a feito perceber ou assimilar inconscientemente que “toda vez que ela comissiona uma tarefa assumindo essa postura de ‘superioridade e imposição’, aqueles que possuíam o grau hierárquico inferior mostravam-se mais ‘abertos’ ao comando”. Por experiência própria, a pessoa fica tão mais preocupada na situação espacial presente, que acaba concordando ou aceitando com mais facilidade o que é falado. Weil e Tompakow falam que vivemos em um mundo submetido a uma “Cultura da Lei do Mais Forte” (1973), que faz com que lutemos sempre por conquistas espaciais, ainda que não nos apercebamos disso. Em suma, acho que a saída pra esse tipo de situação pode variar com a intimidade entre as pessoas, desde aquele descontraído “Pô cara, dá um espaço aí”, amigável, ou como dr. Sergio Senna falou, improvisar uma barreira que permita uma discussão tranquila. Essa é minha opinião, percebi que um pouco depois dos demais, mas espero ter contribuído. Abraço a todos.

  21. A idéia da barreira sempre é bom, entretanto, muitas vezes não é possível, pois as vezes ele aborda em um corredor e entra em nossa zona de coforto meio que em 45º, e não “de frente”, só nos dando a chance, no máximo, de suspender o braço esquerdo…

  22. Achei que apareceram várias hipóteses interessantes aqui.

    Vamos comentar uma delas.

    Algumas pessoas invadem o espaço da outra para constrangê-la. Elas sabem que as pessoas têm dificuldade de dizer NÃO. É semelhante com aquelas chamadas telefônicas que te exaure até que você concorde com o que o atendente quer.

    O mais importante nesses casos é saber expressar-se com assertividade.

    Por exemplo: dizer para que a pessoa mantenha distância. Isso pode ser feito de várias formas, inclusive como uma brincadeira.

    Pode-se colocar uma barreira entre os dois. Uma mesa, um copo entre outros objetos.

    Não se deixe intimidar por algum mala (que é outra hipótese). Às vezes o cara é só uma “mala”. Falarei sobre isso a seguir.

    Abraço
    Sergio Senna

  23. Achei que apareceram várias hipóteses interessantes aqui.

    Vamos comentar uma delas.

    Algumas pessoas invadem o espaço da outra para constrangê-la. Elas sabem que as pessoas têm dificuldade de dizer NÃO. É semelhante com aquelas chamadas telefônicas que te exaure até que você concorde com o que o atendente quer.

    O mais importante nesses casos é saber expressar-se com assertividade.

    Por exemplo: dizer para que a pessoa mantenha distância. Isso pode ser feito de várias formas, inclusive como uma brincadeira.

    Pode-se colocar uma barreira entre os dois. Uma mesa, um copo entre outros objetos.

    Não se deixe intimidar por algum mala (que é outra hipótese). Às vezes o cara é só uma “mala”. Falarei sobre isso a seguir.

    Abraço
    Sergio Senna

  24. Neusi Caetano Você tocou em um ponto interessante: servir para mascarar insegurança… já vi muitos cursos ploriferando estas técnicas para “acobertar” inseguranças.

  25. Eu conheço várias pessoas que tem como tecnica ou costume fazer isso. Querem ser mesmo os “alphas” de um determinado grupo. Eu poderia dizer que é chato conviver com pessoas assim. Eu convivo mais com Mulheres e elas sempre me falam que tem “caras” que gostam de adiantar as coisas. Isso fica meio que vergonhoso para os homens. Mostra na minha opnião a fraquesa deles em querer algo RÁPIDO com elas, Saindo do espaço confortavel para entrar no espaço intimo da pessoa! Sou muito rigido quanto a isso.

  26. Thiago Sálvio Mas esse teu amigo tem algum interesse quando faz isso? Por ser apenas amigo, não veria necessidade de tal ato. Já no caso que citei, existe a relação de hierarquia (ambiente de trabalho).

  27. Neusi Caetano Que desenvolvimento de técnica hein…rsrsrs Bom, eu ultimamente “planto o pé”, afim de não demonstrar intimidação, ora, também estou visitando a zona de conforto dele, já que ele visita a minha, talvez com respostas mais firme, ao longo do tempo, desistimule esse tipo de atitude por parte dele, ao menos em relação a mim….por falar nisso, inclusive faz tempo que ele não faz isso, vou prestar mais atenção. Já me peguei, ao entrar na sala dele e ele sentado no birô, outra atitude semelhante: encostar na cadeira e apoiar os braços na cabeça, tipo efeito pavão, querendo demonstrar ser maior do que é…outra forma de “intimidação”.

  28. Bem colocado o assunto Edinaldo Oliveira, tbm tenho um colega assim.
    Até onde percebi, não tem uma maneira tranqüila de fazer a pessoa se afastar,
    Seria sempre de algum tipo de afrontamento ou até uma leve ofensa a auto confiança do outro. Vc poderia tentar se impor da mesma forma, mas não creio que daria certo, já que o individuo aprecia a proximidade, vc poderia se afastar, e ai ele viria a diante pra cima de vc, e talvez com animo renovado se for consciente. Vc tbm poderia falar para a pessoa a respeito da zona pessoal. Mas já te digo que na maioria das vezes vc será visto com maus olhos, do tipo: Vc é nojento, cheio de frescuras, e ai vai. Até porque as pessoas costumam colocar diversas desculpas quando alguém coloca em evidencia uma possível falha sua, difícil seria aceitar isso.
    Mas tem uma maneira nada educada e ate chega ser uma covardia, mas que da resultado e dependendo de a pessoa merecer até fica divertido: Quando a pessoa chegou ao limite da invasão, vc esquiva levemente a cabeça para o lado e para traz, deixando ele perceber que esta prendendo ao Maximo a respiração, mas de maneira sutil, pressiona um pouco os lábios e tencione as paredes do nariz, e como esses invasores costumam olhar bem nos olhos da vitima, eles perceberão isso e pensarão que se trata do mau hálito expelido de suas próprias bocas, vera que uns dois passos para trás será feito de maneira bem rápida. Mas não faça expressão de nojo, pode ser interpretado de outra forma.
    No meu caso deu certo, mas só faço isso com uma única pessoa, e gostaria de saber se funciona com mais alguém.

  29. É ruim demais conversar com gente assim!
    Tenho um amigo que é horrível conversar com ele pessoalmente por que parece que ele quer nos beijar de tanto que ele se aproxima, eu geralmente recuo. Acho que esse esse chefe tem é um mal hábito e não uma técnica aprendida.

  30. Juan Kelvin, Bruno Martins, Dodô Sant’s, Thiago Sálvio, Thiago Morais, Vinicius Lopes, Michele Carvalho, Sheyene Figueiredo e Neusi Caetano – Opiniões????

  31. Justamente, quando permitimos é tranquilo (o caso de um casal), mas quando somos “obrigados” a aceitar a invasão, nossas decisões podem ser diferentes do que realmente pensamos…por medo, pelo desvio de atenção por conta da invasão, etc etc… Se ele se utiliza disso como técnica, acho que pode ter problemas em algum momento, mas minha maior dúvida é em relação ao invadido, qual seria a melhor forma de “se sair” dessa invasão.

  32. Olá Edinaldo, achei a vinheta do caso bem interessante.

    Existem muitos aspectos a serem comentados, então vamos por partes. Vejamos a figura abaixo:

    http://ibralc.com.br/wp-content/uploads/2011/05/densidadehumana-300×239.jpg

    Como podemos observar, existe um espaço psicológico de cerca de 30 centímetros (pode ser um pouco mais ou menos) a partir do qual nos sentimos incomodados com a proximidade de algum “invasor” não autorizado.

    É bom notar que se autorizada, essa invasão pode ser bem vinda, como é o caso quando alguém namora bem pertinho….

    Seria interessante que as pessoas lessem o artigo por você citado e comentassem antes de prosseguirmos com as explicações:

    http://ibralc.com.br/proxemica/desconforto-no-abraco/

  33. Dr. Sergio Senna Pires , ontem percebi uma situação bastante interessante:

    Um pessoa em um cargo de chefia possui um hábito que percebo faz tempo: ele geralmente quando deseja “pedir” algo, aos poucos se aproxima do interlocutor, em uma tentativa de invasão da zona de conforto do interlocutor, não sei se isso é feito de forma inconsciente, ou foi uma técnica que ele aprendeu, afim de persuadir o próximo de forma “mais fácil”, já que teoricamente ele invadindo a zona intima do interlocutor, deixaria o mesmo desconfortável, o que algumas vezes pode fazer com que quem tenha a zona invadida aceite os termos colocados pelo “invasor” (inclusive ele geralmente invade com as mãos dentro do bolso, não chegando a tocar no interlocutor).

    Certa vez, apenas como teste, me mantive posicionado no mesmo local, pois mesmo assim, o mesmo chegou a praticamente “colar” em mim, parecia até que tava querendo me passar algum tipo de segredo (uma conversa reservada) – o que não era o caso.

    Ontem, quando ele tentou fazer o mesmo com uma pessoa de “fora” – um engenheiro de uma empresa terceirizada – a medida que o chefe tentava “invadir” a zona de conforto do engenheiro, o mesmo recuava…ou seja, a cada passo que o chefe dava para frente, o engenheiro dava um passo recuando.

    Minha dúvida: em sua experiência, qual a melhor forma de tratar esta investida? Se posicionar firmemente, recuar??

    Abraço,

    Edinaldo

  34. Estão de parabéns com o site! cheguei aqui por pesquisar mais sobre a série Lie to me e acabei me surpreendendo com tantos textos sobre linguagem corporal (desculpe se usei o termo errado) e outros temas.

    continuem postando sempre! ajuda e muito quem está começando no assunto, como eu.

    • Prezado Carlos,

      Obrigado por nos visitar. Se você é fã da série Lie to me, e quer aprender sobre linguagem não verbal/corporal de forma séria, continue nos acompanhando.

      E por ser fã da série, você vai gostar das novidades que estão por vir. Aguarde!!

      Abraços,

      Edinaldo Oliveira

  35. Edinaldo, eu graças a deus sei usar a Linguagem Corporal para conquistar as pessoas. Costumo sair em vantagem em todas as situações hehe’ Aprendir com o Livro “Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal” Foi o primeiro livro sobre linguagem corporal que li. Muito bom . Ai logo depois Comprei: “A linguagem das Emoções” e foi por ai que comecei a me dedicar na linguagem corporal e as Microexpressões !

  36. Tem alguns colegas que ao descobrir que estudo linguagem corporal, vem logo perguntando “dicas” para conquistas. Falo logo que não vou gastar ciência com um tema tão supérfluo. Como já citei, basta aumentarmos nossa percepção, e isso fará uma diferença enorme…!

  37. Tem alguns colegas que ao descobrir que estudo linguagem corporal, vem logo perguntando “dicas” para conquistas. Falo logo que não vou gastar ciência com um tema tão supérfulo. Como já citei, basta aumentarmos nossa percepção, e isso fará uma diferença enorme…!

  38. Ontem reassistindo o filme “Hitch – Conselheiro Amoroso” logo nos primeiros minutos do filme ele fala da “lenda” dos 90% da linguagem corporal. Me lembrei do artigo do Dr. Sergio Senna Pires na hora. Muito interessante como o filme trata a relação linguagem corporal x sedução. Mais interessante é o final: a conclusão que o conselheiro chega. Não vou falar para não estragar rsrs

  39. O que existe de concreto e científico é que nós temos um espaço psicológico ao nosso redor.

    Se alguém invade o nosso espaço pessoal (mais ou menos 45 cm do corpo e dependente da cultura) sem a nossa permissão, nos sentimos mal.

    Além disso e também significativa, é a participação da cultura coletiva em orientar os comportamentos públicos. Em algumas culturas, não é aceitável tocar com muita frequência.

    Existem também áreas do corpo restritas ao toque e esse também é um fenômeno culturalmente orientado.

    Então, podemos concluir que uma pessoa tímida PODE ter uma certa dificuldade para expressar suas idéias e também pode experimentar a mesma dificuldade para tocar alguém.

    No entanto, isso não tem nada a ver com virgindade.

    A virgindade é um fenômeno temporal (permanecemos virgens até um certo momento) e também ético/moral (decide-se permanecer virgem por determinadas razões).

    Dizer que alguém que não sabe abraçar agarrando a pessoa é um generalização absurda e sem qualquer suporte científico.

    Me parece mais uma postagem com a finalidade de fazer alguma brincadeira com as pessoas. Alguma pegadinha ou algo assim….

  40. Recentemente fui contactado por três veículos de comunicação para dar entrevista sobre linguagem corporal e paquera, namoro e sexo.

    Minha resposta a todos eles foi a mesma. Não trato desses temas. Sempre oriento os jornalistas que existem outras pessoas que se propõem a serem especialistas nisso, seja lá o que isso signifique.

    Uma coisa que observei ao longo do tempo foi a perda de autoridade daqueles pesquisadores que começam a tratar desses assuntos.

    Não faço a mínima idéia do porquê isso ocorre, mas é um fato. Aqueles que começam a tratar de linguagem corporal e namoro, sexo, etc acabam se restringindo somente a esses temas e ao público que tem interesse nesses assuntos.

    Aparecem postagens, como a que estamos comentando que confundem as pessoas. Muitos nem perceberão a montagem, mesmo grosseira, como é o caso. Acreditarão piamente no que é dito!

    Por isso, existem pessoas vendendo livros sobre isso, com argumentação circunstancial, em sua maioria baseada na experiência pessoa de seus autores e também em alguns mitos da linguagem corporal, como aquele de que 93% de toda a comunicação é não verbal.

    Pura bobagem, como já mostramos em uma de nossas postagens.

  41. Thiago e Edinaldo, essa postagem é massa! Eu gostei muito da matéria pois ela nos dá espaço para comentarmos essa questão da utilização equivocada dos princípios de interpretação da linguagem corporal.

    Comecemos por aspectos que nem têm relação com a linguagem corporal e sim com a intenção de quem redigiu aquela postagem. Então vejamos:

    1. As fotos apresentadas na postagem são montagens grosseiras;

    2. Pela análise dos ambientes, roupas etc, eu diria que a maioria das personagens são norte-americanos;

    3. Observem que algumas mãos em evidência nem são das mesmas pessoas que abraçam;

    4. As mãos nas fotos 7 e 8, contando de cima para baixo, são até desproporcionais.

    Antes do nosso próximo comentário, fica a pergunta: por que um autor precisa fazer montagens para tentar provar algum ponto de vista?

  42. Exatamente Edinaldo Oliveira me surgiu a dúvida por que recebi de umas pessoas me perguntando se isso era verdade. Realmente o grande problema da área da sedução são os inúmeros livros de auto-ajuda sem relevância científica.

  43. As fotos em questão podem ter ocorrido por mera timidez – ou tempo de foto, tiraram a foto no momento em que o abraço ainda não estava completo-, e o autor da postagem se aproveitou disso e lançou essa “teoria”.

  44. A área da linguagem não verbal relacionada à sedução ou teor sexual é comumente abordada de forma errada. Acredito que se deva ao fato de que este tipo de informação alavanque vendas, por isso existam tantos livros de “auto-ajuda” por aí tratando do tema.

  45. A área da linguagem não verbal relacionada à sedução ou teor sexual é comumente abordada de forma errada. Acredito que se deva ao fato de que este tipo de informação alavanque vendas, por isso existam tantos livros de “auto-ajuda” por aí tratando do tema.

  46. A primeira consideração (acredito que para tranquilidade de muitos) é que não há qualquer relação entre a virgindade e a forma de como um homem abraça uma mulher.

    Mas como conseguiram tantas fotos nesse post?

  47. Gostaria de saber quando uma pessoa que nos ama, e começa a abraçar com apenas um braço e o outro fica parado ao lado do corpo. Isso significa que deixou de nos amar ou só precisa de distância para pensar na vida?

    Obrigado, antecipedamente, pela solicitude.

    • Prezado Eduardo Viana,

      Vi somente agora sua dúvida, mas vou resgatar seu questionamento para fazer alguns comentários:

      1. Você não pode basear como anda seu relacionamento por um único indicativo, outros indicativos, bem como, o momento do relacionamento devem ser levados em consideração. Recomendo a leitura do artigo: http://ibralc.com.br/a-mentira/nao-existe-um-unico-definitivo-sinal-da-mentira/

      2. Outro ponto que já me questionaram bastante foi o uso da linguagem não verbal como “arma para conquistas”. Gostaria de deixar claro que sou contra tais “tecnicas”, eu acredito sim, em um aumento da percepção das pessoas que nos rodeiam, bem como suas intenções. Caso seja possível, pretendo lançar um artigo em breve sobre esse assunto, com o intuíto de desmistificar algumas “teorias”.

      Portanto Eduardo, você deve aumentar sua percepção da linguagem não verbal, assim você terá mais proveito na avaliação do seu relacionamento. Não tire conclusões rápidas a partir de um único indicativo, cautela é tudo.

      Siga nos acompanhando.

      Abraços,

      Edinaldo Oliveira

  48. Muito interessante.
    Tenho feito algumas observações e tenho comprovado a comunicação não verbal do nosso corpo.
    È mesmo fantástico!
    Trabalho em uma escola onde tem muita violência e indisciplina penso que posso ajudar a minimizar essa situação.Alguma sugestão?

    • Olá Cezar, obrigado pelo sua participação no Portal.

      Em função de muitos compromissos prioritários deixei de atualizar o Portal na ferquência habitual.

      Em breve, retomarei a redação de artigos e pretendo inicia-la pelo tema por você sugerido: linguagem corporal e violência na escola. Estará na serie linguagem corporal e educação.

      Diversos leitores têm sugerido esse tema e acredito ser relevante que o abordemos.

      Siga participando de nosso portal
      Um abraço
      Sergio Senna

  49. Olá,

    Fiz uma pequena montagem, com mais exemplos de abraços falsos e verdadeiros.

    Abraços,

    Edinaldo Junior

  50. Nossa, achei este site incrivel. Esta matéria demonstra como a psicologia esta no dia a dia de todos nós e não apenas nos livros dos teóricos.

    • Prezada Marisa, obrigado pelo incentivo.

      Acompanhe nossas matérias e sugira alguma que gostaria de ver publicada por nós.

      Aproveite para nos ajudara a divulgar o Portal e clique no link Google+1 acima. Se você gostou de um artigo, compartilhe no Facebook e no Twitter. Basta clicar na barra lateral flutuante à esquerda do conteúdo. É fácil e prático.

      Um abraço
      Sergio Senna

  51. Muito legal a matéria!
    Eu também já havia visto no seriado do Lie to me, porém ficou mal explicado e como descrito na matéria os atores mal orientados.

    O que eu gosto das suas matérias é reforçar o fato de que tudo deve ser analisado em seu contexto.
    Proximidade pode não significar intimidade e um fator não determina o restante.

  52. Bom esse projeto foi muito bom para percebermos o quanto a proximidade das pessoas são importantes, e tambem suas privacidades.Devemos respeitar os limites de cada pessoa.

  53. Artigo interessantíssimo, vi uma rápida referência sobre isso no 9º episódio de Lie To Me, mas esse artigo é bem mais completo.
    Espero que se comente mais sobre o assunto, como, por exemplo, aqueles abraços em que se coloca um só braço sobre o ombro da pessoa, sabe?
    Obrigado, até mais

Deixe uma resposta