Linha do tempo: linguagem corporal

A história do estudo da comunicação não verbal é repleta de cientistas que dedicaram as suas vidas a esse tema. Iremos destacar cinco entre os mais significativos:

Linha do tempo da linguagem corporal

 

Charles Darwin

bib-darwin-linguagem-corporal-1A Expressão das Emoções no Homem e nos Animais (1872) é um livro escrito por Charles Darwin e trata sobre como o ser humano e os animais expressam as suas emoções. Esse livro é um marco na história da comunicação não verbal, pois foi a primeira obra, com viés científico, de grande circulação sobre as emoções e as expressões faciais.

Darwin observou que era possível que nossas expressões faciais expressassem certas emoções que seriam compartilhadas por todos os seres humanos e sobre isso diz:

…the young and the old of widely different races, both with man and animals, express the same state of mind by the same movements. (“… os jovens e os velhos de raças muito diferentes, tanto com o homem e os animais, expressam o mesmo estado de espírito com os mesmos movimentos.”)

Nessa época, havia uma polêmica sobre a natureza “divina” do ser humano, mesmo na fisiologia. Um exemplo dessa tendência está no conteúdo do livro “Anatomy and Physiology of Expression”, de Charles Bell, no qual se defende a existência de músculos únicos e divinamente criados para a expressão das emoções humanas. Darwin, obviamente, se opunha a isso, defendendo que existia uma origem partilhada entre seres humanos e animais em sua fisiologia.

A relevância desse trabalho consiste na elaboração da hipótese de que certas emoções podem ser consideradas universais, compartilhadas por todos os seres humanos. Uma das características desse tipo de emoções é que se manifestam na face por meio de expressões faciais típicas.

Abaixo, artigo de Castilho e Martins sobre as concepções evolutivas de Darwin:

Castilho-10.7594-revbio.09.02.03

 


William James

William James

William James

William James (1842-1910) foi um filósofo e importante psicólogo norte-americano. Um dos fundadores do pragmatismo norte-americano e um dos pioneiros da Psicologia Funcional. Naceu em Nova York, teve acesso a uma boa escolariação.

Curioso, estudou pintura, medicina, e em 1865, acompanhou o naturalista Louis Agassiz na Expedição Thayer, em estudo científico no Brasil. Durante oito meses, esteve no Amazonas e no Rio de Janeiro e registrou tudo em seu diário, onde também desenhou cenas da expedição. A partir de 1867 começou a publicar, passando a maior parte de sua carreira acadêmica em Harvard.

Com uma formação diversificada, mostrava o seu interesse para as questões psicológicas e o estudo científico da mente humana, seus valores morais e espirituais, justamente na época da consolidação da Psicologia como ciência.

Em 1890 publicou o livro Princípios de Psicologia, obra que teve o mérito de apresentar a Psicologia como ciência independente de sua íntima relação com a fisiologia. Foi um dos pioneiros da Psicologia Funcional. A leitura dessa obra é recomendada até os dias de hoje, apesar de ter mais de um século de publicação.

Sua importância para o estudo da comunicação não verbal reside no foto do seu pioneirismo na pesquisa empírica sobre a percepção e as emoções.

 


Ray Birdwhistell

birdwhistell

Ray Birdwhistell

Ray L. Birdwhistel (1918-1994), foi um antropólogo e especialista em como as pessoas se comunicam por meio de movimentos corporais. Aposentou-se em 1988 pela Universidade da Pensilvânia, onde começou a trabalhar em 1969. Desde 1942 até 1969, ele ensinou e realizou pesquisas nas Universidades de Toronto; Louisville; Universidade Estadual de Nova York; Universidade de Buffalo;  e Temple.

Sua obra consagrada, Kinesics and Context (1970), mostrou a importância do estudo sobre o movimento do corpo humano (Cinésica). Nesse campo, avançou na teoria sobre uso de todos os sentidos para a realização da comunicação humana. Foi pioneiro no estabelecimento de que a informação transmitida por gestos e movimentos humanos é codificada e modelada de forma diferente em várias culturas, e que esses códigos podem ser descobertos por um escrutínio qualificado de movimentos particulares dentro de um contexto social.

 


Albert Mehrabian

Albert Mehrabian

Albert Mehrabian

Albert Mehrabian nasceu em 1939 no Irã, atualmente é professor emérito da Universidade da Califórnia – Campus Los Angeles. Tornou-se conhecido pelas suas publicações sobre a importância relativa das mensagens verbais e não verbais. Suas descobertas sobre mensagens inconsistentes de sentimentos e atitudes foram erroneamente apropriadas e acabaram por dar origens aos mitos mais propagados sobre comunicação não verbal, como o da Regra de 7% – 38% – 55%, pelo impacto relativo das palavras, do tom da voz e do corpo durante uma conversação. Sobre isso, veja os dois artigos abaixo:

93% da comunicação é mesmo não verbal?

 

mehrabian_oestreich-linguagem-corporal-ibralc

 


Paul Ekamn

Sobre o Prf. Ekman, veja o nosso artigo completo:

Paul Ekman – Expressões Faciais e Emoções

Bom estudo

Sergio Senna

 


Visite as Seções do Portal:

 


Como citar este artigo:

Formato Documento Eletrônico (ABNT)

PIRES, Sergio Fernandes Senna. Linha do tempo: linguagem corporal. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Disponível em < https://ibralc.com.br/linha-tempo-linguagem-corporal/> . Acesso em 20 Nov 2017.

Formato Documento Eletrônico (APA)

Pires, Sergio Fernandes Senna. (2015). Linha do tempo: linguagem corporal. Instituto Brasileiro de Linguagem Corporal. Recuperado em 20 Nov 2017, de https://ibralc.com.br/linha-tempo-linguagem-corporal/.

The following two tabs change content below.
Psicólogo, doutor em psicologia (UnB), possui diversas especializações na área de educação, segurança e políticas públicas. Tem larga experiência acadêmica e profissional na interpretação da linguagem corporal, presta assessoria institucional no Congresso Nacional e desenvolve trabalhos acadêmicos nas temáticas da análise da mentira e da linguagem corporal. Veja o currículo completo aqui!
Publicado em Cientistas Famosos, Comunicação Não Verbal e com a Tags , , , , .

Deixe uma resposta